MARISA, o projeto europeu de segurança e vigilância marítima

O estado e a segurança dos espaços marítimos são de interesse global, uma vez que o impacto ambiental e as más práticas provocam consequências irreparáveis no meio marinho. Neste contexto, a União Europeia tem muitos interesses sócio-económicos depositados nas zonas costeiras, não sendo por acaso que se trata do território com maior número de portos comerciais no mundo.

Este setor representa um benefício bruto de quase 500.000 milhões de euros anuais para a comunidade política da Europa, sendo por isso tão importante manter uma postura preventiva como estabelecer mecanismos corretivos. A UE faz cada vez mais esforços e aplica mais recursos na criação de sistemas de vigilância e segurança mais eficientes. Através de diferentes programas, financia projetos no setor marítimo para minimizar a pegada humana a nível ecológico, evitar desastres naturais, detetar atividades ilícitas ou reduzir acidentes marítimos, entre outros.

Um dos projetos que está atualmente a desenvolver-se é o Maritime Integrated Surveillance Awareness (MARISA, na sua sigla em inglês). Trata-se de uma iniciativa que se enquadra no programa-marco Horizonte 2020, recebendo financiamento da Comissão Europeia (quase 82% do custo total).

MARISA arrancou em Maio de 2017 e tem como principal objetivo a integração de Big Data com a Fusão de Dados Multisensor, constituindo uma técnica inovadora de exploração de dados a partir de fontes diversas para obtenção de informações úteis e de qualidade, aplicada com atividades de segurança marítima. Isto será possível graças ao desenvolvimento de um conjunto de ferramentas interoperáveis que servirão para mais facilmente dar acesso aos dados gerados por diferentes recursos tecnológicos que atualmente estão em funcionamento.

O projeto é resultado de um consórcio liderado pela multinacional italiana Leonardo s.p.a., juntamente com 21 empresas procedentes de nove Estados-Membros da União Europeia. A GMV é um dos sócios e participa destacadamente no projeto. É responsável pela conceção do sistema, do desenvolvimento de algoritmos de fusão e deteção de anomalias, assim como pela fase de testes a realizar em Espanha e Portugal, em colaboração com a Guarda Civil e com a Marinha Portuguesa.

MARISA I

Durante as jornadas de 16 e 17 de Janeiro, a GMV recebeu na sua sede de Tres Cantos o 2nd User Community and Innovation Management Meeting com o objetivo de avaliar o desenvolvimento de MARISA. A evolução do projeto até ao momento e a definição dos testes operativos e seus cenários, foi testemunhada por 50 assistentes entre os quais se encontravam sócios da iniciativa, utilizadores finais, membros da indústria e representantes de centros de investigação e agências. A reunião também serviu para partilhar o conhecimento adquirido e perfilar os requisitos dos utilizadores do projeto.