GMV leva para a fase de desenvolvimento o sistema GNC que guiará a missão da HERA

A Agência Espacial Europeia (ESA) assinou no passado dia 15 de Setembro o contrato para a fase operacional do desenvolvimento da missão de defesa planetária HERA, adjudicando-o à empresa alemã OHB por 129,4 milhões de euros. Trata-se da primeira missão de defesa planetária da Agência, como contribuição europeia para a colaboração internacional levada a cabo juntamente com a NASA e cujo lançamento está previsto para Outubro de 2024. O contrato envolve o desenvolvimento completo da sonda interplanetária, a integração e os ensaios, assim como um avançado sistema de guiamento, navegação e controlo (GNC) do qual se encarregará a multinacional tecnológica GMV como contratada da OHB.

As operações de proximidade e a navegação em torno de asteróides são tarefas extremamente exigentes. Os seus pequenos tamanhos e massas, juntamente com as suas formas irregulares e com o ambiente desconhecido do espaço profundo, tornam muito difícil controlar com segurança as naves espaciais à volta de um destes corpos. Para isso a GMV desenvolveu um sistema GNC autónomo, altamente inovador, que faculta essa segurança adicional para garantir o êxito da missão.

A GMV é líder na Europa em sistemas GNC e pioneira a nível global em missões de exploração, tanto planetárias como de asteróides. Entre os projectos a nível europeu que deram a liderança à GMV neste âmbito, destacam-se AIM, Marco Polo, Neoshield2, SYSNOVA-BEAST ou Rosetta.

platform-art

O sistema GNC desenvolvido pela GMV para a HERA executa autonomamente o plano de voo que definem os controladores humanos em terra, aumentando pouco a pouco o seu nível de autonomia até calcular a bordo as manobras para voar a certa altura ou executar uma manobra de escape perante um risco de colisão. Ambas as capacidades são uma das inovações fundamentais do GNC da HERA.

Os testes para certificar o nível de preparação tecnológica do sistema GNC autónomo da GMV, foram realizados com utilização de uma câmara apropriada para trabalhar em contexto espacial, assim como um modelo à escala do sistema binário de asteróides Didymain-Dimorphos. Para garantir a representatividade dos testes executados, reproduziram-se condições de obscuridade semelhantes à iluminação do espaço profundo em que irá trabalhar a HERA. Os testes de validação em terra do sistema GNC que se realizaram em Abril de 2020, desenvolveram-se primeiro no laboratório óptico da GMV e depois no seu laboratório robótico, chamado Platform-art©, em Tres Cantos., Madrid, o qual é um dos laboratórios robóticos mais avançados da Europa para validar sistemas de GNC.