GMV, sétimo grupo industrial que mais emprego gera no sector espacial na Europa

A 24ª edição do relatório anual que elabora a Eurospace sobre a indústria espacial europeia, destaca o papel que GMV adquiriu nos últimos anos, concentrando em 2019 2,06% do emprego, a tempo inteiro, num total de 47 895 trabalhadores (+5,7%). Deste modo e do ponto de vista do emprego, a GMV disputa à RUAG a posição de sexto grupo industrial europeu no sector do Espaço, ficando apenas atrás de grandes grupos como Airbus, Thales, Ariane, Leonardo e OHB. O inquérito anual da Eurospace conta com o apoio de todas as grandes empresas e é representativo da situação do sector.

Embora sejam três os grandes grupos responsáveis por cerca de metade do emprego total (Airbus, Thales e Leonardo), empresas como a GMV geram cada vez mais postos de trabalho e aptidões adicionais à indústria espacial europeia, sector que em 2019 registou vendas totais de 8756 milhões de euros (o que representa um incremento de 2,6%). 

Erospace

 Gráficose dados © Eurospace

2019 foi um ano excepcional para a GMV no segmento do negócio espacial. Conseguiu incrementar em 30% a sua facturação relativamente ao ano anterior, ultrapassando os 140 milhões de euros. Já em 2015 a GMV tinha multiplicado por 2,5 o seu volume de negócios, permitindo que novos profissionais se juntassem ao seu projecto. 

Este crescimento foi além disso generalizado, abrangendo todas as áreas de negócio, as quais crescem entre 15% e 40% e envolvendo também a maior parte dos países onde a empresa detém actividade espacial. Cumpre destacar o importante crescimento da Espanha, a consolidação da Alemanha como segundo país dentro do grupo, assim como um crescimento importante da França, de Portugal, da Roménia e do Reino Unido.

Entre as operações que permitiram atingir estes montantes , destacam-se os programas Galileo e Copernicus, a mega-constelação OneWeb ou os desenvolvimentos para Eumetsat, vigilância do espaço, exploração e defesa planetária.