Como enfrentar os reptos e oportunidades do sector da Energia e Utilities na transformação digital

GMV debate sobre a maneira de enfrentar os reptos e oportunidades do sector da Energia e Utilities na transformação digital

A perceção sobre o potencial da transformação digital nas empresas do sector Energia e Utilities já é uma realidade. A imensa maioria das organizações do sector considera que a sua produtividade aumentará notavelmente com um maior impulso na digitalização em ambientes colaborativos. Concretamente, destaca a evolução rumo a um novo modelo sustentável baseado na aplicação de tecnologias através de duas alavancas muito ligadas: automatização e a utilização de Big Data. O primeiro caso centra-se principalmente na poupança de custos e na redução do número de erros, melhorando a operacionalidade e incrementando a produtividade. Também a compilação, análise e utilização de todos os dados disponíveis ao longo de todo o processo produtivo, contribui para a partilha destes objetivos promovendo uma melhoria na eficiência energética e proporcionando informações para a tomada de decisões nos negócios.

O último Pequeno-Almoço Smart Energy de 2018, organizado pela Plataforma enerTIC, acolheu os responsáveis e diretores de inovação das principais empresas do sector Energia e Utilities (Acciona Energía, Axpo, EDP, EDF, Enagás, Engie, Naturgy, Galp, Repsol e Viesgo). Com elas estiveram fornecedores de soluções tecnológicas como a GMV, peritos em melhorar a eficiência energética e a sustentabilidade. Durante a jornada, debateram-se os reptos e oportunidades que terá de enfrentar a indústria nestes momentos, destacando-se a importância que representa a colaboração, tanto com empresas do mesmo sector, como com empresas emergentes, aceleradoras ou universidades.

Miguel Hormigo, Director do Sector Indústria de Secure e-Solutions da GMV, debate sobre a maneira de enfrentar os reptos e oportunidades do sector Energia e Utilities

Atualmente o sector energético e elétrico está a passar por grandes alterações como a transição energética, as novas soluções de armazenamento, a chegada de tecnologias disruptivas, as novas formas de mobilidade ou um sistema energético cada vez mais distribuído.

Big Data, Industrial Internet of Things, Cloud, Inteligência Artificial, Visão Artificial, Robótica Tradicional ou Colaborativa, etc., são alguns dos conceitos atuais de um sector globalizado em que as margens de benefício e os prazos de entrega se foram reduzindo de ano para ano. Neste contexto digital, os dados são fundamentais para a implantação da Indústria 4.0 como meio para melhorar a otimização dos processos de produção, gestão de ativos, redução do consumo energético, identificação de anomalias, servitização ou geração de novos modelos de negócio.

Com este tipo de tecnologias, será mais viável estabelecer-se entre todos um novo modelo de negócio que dê resposta aos desafios atuais e futuros do sector. De igual modo, toda a assistência concordou que estas tecnologias já se estão a implantar com êxito e que devem atuar como facilitadoras para relacionar empresas negócios e clientes.

Em suma, com a integração de tecnologias e soluções inovadoras em contextos industriais, as empresas do sector Energia e Utilities podem encaminhar-se para uma transformação digital que lhes permita enfrentar os desafios apresentados pelo mercado, tornando-se mais competitivas e ao mesmo tempo mais eficazes e sustentáveis.