Definição de novos requisitos para AfriCultuReS

No passado mês de Novembro celebrou-se em Nairobi um novo workshop de utilizadores sobre AfriCultuRes, acolhido pela LocateIT, uma das 17 entidades que constituem o consórcio deste projeto que fomenta o desenvolvimento do continente africano.

AfriculturesKenia

Durante a jornada debateram-se novas linhas de atuação para avançar neste projeto cujo objetivo consiste em conceber, implementar e validar operacionalmente um sistema de informações integrado para monitorização, análise e alerta antecipado, contribuindo assim para melhorar a produção de alimentos em África. O encontro contou com a presença de representantes do Ministério da Agricultura do Quénia, do Banco Mundial, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), do Centro Regional de Recursos de Cartografia para o Desenvolvimento (RCMRD), da companhia de seguros Jubilee Insurance, do Instituto de Investigação e Análise de Políticas Públicas do Quénia (KIPPRA), do Instituto de Investigação Florestal do Quénia (KEFRI), da Comissão da Bacia do Lago Vitória (LVBC), entre outras agências estatais e instituições académicas, assim como peritos em observação da Terra, utilizadores finais e potenciais clientes. Além deste workshop realizado em Nairobi, organizaram-se eventos análogos em Tunes, Nigéria, Gana, África do Sul, Moçambique, Ruanda e Etiópia. Estes workshops contaram com uma assistência superior a duzentas entidade relacionadas com a produção de alimentos, incluindo governos nacionais e locais, representantes de organismos multilaterais, assim como do sector privado (banca, seguros, fornecedores bens agrícolas, etc.) e do sector académico, associações sectoriais, ONGs e sociedade civil. AfriCultuReS responde à problemática da dificuldade de acesso dos pequenos agricultores em obter informações fiáveis com base nas quais possam implementar melhorias na tomada de decisões em processos de gestão agrícola e/ou pecuário, cujo objetivo consiste em assegurar a produção por meio da gestão de riscos, facilitando a adaptação e resiliência em face da mudança climática. Em geral, a AfriCultuReS, graças à integração de dados procedentes da constelação europeia dos satélites Sentinels (programa Copernicus), juntamente com dados de campo, modelos climáticos, meteorológicos e de previsão de colheitas, facultará as informações necessárias para um desenvolvimento agrícola sustentável, para a gestão dos recursos naturais, conservação da biodiversidade e redução da pobreza em África. A AfriCultuReS é completamente financiada pelo programa de investigação Horizonte 2020 da União Europeia (contrato nº 774652) com um montante inicial de oito milhões e meio de euros. Arrancou em fins de 2017 e terá uma duração de quatro anos. O Consórcio é formado por oito entidades africanas e nove de origem europeia, todas elas de referência em campos como a climatologia, meteorologia, monitorização e modelo de cultivos, tecnologias da informação, ciências sociais ou observação da Terra.