ACTECA, uma firme aposta no âmbito das Grandes Instalações Científicas

No marco do programa estratégico CIEN, do Centro para o Desenvolvimento Tecnológico Industrial (CDTI), a GMV participa no consórcio com outras empresas espanholas no projeto ACTECA (Aceleradores e Tecnologias Associadas para Grandes Instalações Científicas). O projeto tem como objetivo desenvolver um conjunto de tecnologias que permitam incrementar a participação da indústria espanhola em projetos internacionais de grandes instalações científicas (GIC), contribuindo com o desenvolvimento e construção de sistemas e componentes críticos de alto valor acrescentado.

ACTECA, que conta com um orçamento de 7,5 milhões de euros, tem como primeiro objetivo industrial o desenvolvimento das tecnologias necessárias para impulsionar a participação espanhola na construção e operação dos elementos críticos de DONES (“DEMO-Oriented Neutron Source”). DONES, atualmente em planeamento como primeira fase do projecto IFMIF (“International Fusion Materials Irradiation Facility”), tem como objetivo a produção de fluxos de neutrões de características similares aos que se prevê encontrar numa usina de fusão nuclear para ensaio e qualificação dos materiais que se utilizarão em tais instalações.

LIPAC

Foto: CIEMAT

Os aceleradores de partículas são dispositivos que utilizam campos electromagnéticos e cavidades ressonantes para acelerar e guiar partículas carregadas a altas velocidades com diferentes propósitos. O seu número cresceu continuamente desde a sua conceção (em finais do primeiro quarto do século XX), estimando-se atualmente que existam no mundo cerca de 30.000 aceleradores em operação, dos quais aproximadamente 85% são utilizados para aplicações de radioterapia e irradiação ou para a implantação de iões destinados à indústria de semicondutores. Os acelerados que estão no objetivo do projeto ACTECA são os utilizados para I+D+i assim como para aplicações da física de altas energias, o que representaria aproximadamente 1% do total mencionado.

Particularmente dentro do ACTECA, a GMV é responsável pelo Desenvolvimento do Modelo de Usina Virtual em estreita colaboração com o Centro de Investigações Energéticas, Ambientais e Tecnológicas (CIEMAT), organismo público de investigação em matéria de energia e ambiente.

Com a participação neste projeto, a GMV dá mais um passo na sua firme aposta em I+D+i, em aplicações avançadas de simulação e na sua participação no âmbito das Grandes Instalações Científicas (GICs), que começou em finais dos anos 80 com os primeiros projetos relacionados com a Observação da Terra, Astronomia e Exploração Espacial. Graças à experiência acumulada pela GMV em engenharia de instrumentação e controlo, assim como em simulação, centros de controlo, processamento de dados e cibersegurança, a GMV contribui atualmente (de forma direta ou como subcontratada) para GICs como o ITER (International Thermonuclear Experiment Reactor), IFMIF e ESS (European Spallation Source), em estreita colaboração com a Universidade Politécnica de Madrid, através do Grupo de Investigação em Instrumentação e Acústica Aplicada e do Laboratório de Feixes de Partículas IZPILab da UPV/EHU (Universidad del País Vasco /Euskal Herriko Unibertsitatea).