A Assembleia da Andaluzia mede a qualidade das águas dos seus rios com a tecnologia IOT da GMV

A Assembleia da Andaluzia mede a qualidade das águas dos seus rios com a tecnologia IOT da GMV

A Direcção-Geral do Planeamento e Gestão do Domínio Público Hidráulico do Conselho para o Meio Ambiente e Ordenamento do Território da Assembleia da Andaluzia confiou à GMV a realização de um projecto-piloto que permite monitorizar diferentes parâmetros de qualidade da água do açude que recolhe as águas do rio Guadalete na sua passagem pela localidade gaditana de Jerez de la Frontera.

A plataforma IoT SEMS, implementada no laboratório da Delegação da GMV em Sevilha e os sensores de qualidade da água, colocados na infra-estrutura hidráulica localizada no município jerezano de El Portal, compõem uma rede sustentável de monitorização da qualidade das águas do rio Guadalete, com as quais é realizada a rega dos campos do noroeste de Cádis.

Tal como salientada por Ángel Cristóbal Lázaro, líder do projecto na GMV, “o reduzido custo dos equipamentos de medição constitui um aspecto a destacar nesta plataforma que permite que os técnicos da Direcção-Geral do Planeamento e Gestão do Domínio Público Hidráulico realizem a monitorização remota da qualidade das águas do açude”.

Entre os desafios enfrentados pelos engenheiros da GMV neste inovador projecto de Internet das Coisas, cabe mencionar o desenvolvimento implementado para a redução do consumo eléctrico e as comunicações, que permite a activação dos sensores unicamente quando o técnico solicita uma medição de parâmetros como o pH, Oxigénio Dissolvido ou a Condutividade. Por um lado, a GMV respondeu a um requisito prioritário para o seu cliente: reduzir as visitas ao terreno para recalibrar os equipamentos. Por outro lado, a utilização da rede SIGFOX envolveu para o projecto a validação das redes UNB como camada de comunicações.

A tecnologia utilizada neste projecto-piloto implementado pela GMV permitirá dotar o Conselho de um sistema de medição de qualidade das águas com maior densidade de pontos em todo o território andaluz, o que se traduz, por seu lado, em melhor controlo da rede hídrica, com um custo de manutenção muito apertado.

O projecto desenvolvido pela GMV para a Assembleia da Andaluzia coloca em evidência os avanços tecnológicos como a Internet das Coisas, que proporcionam meios de monitorização alternativos com custos mais reduzidos e uma eficácia equivalente a outros sistemas. Isso permite que as autoridades competentes ampliem a rede de dispositivos com os quais cumprem os requisitos que, em matéria de qualidade da água, são exigidos pela Directiva Quadro da Água da União Europeia.