GMV administra e coordena o S3T

Em Julho e sob a administração e coordenação directa da GMV, o centro de operações (OC, na sua sigla em inglês) do sistema espanhol de vigilância e seguimento de objectos no espaço (S3T) entrou formalmente em operações.

Desta maneira, a Espanha começou a prestar serviços de vigilância e seguimento (Space Surveillance and Tracking - SST) no âmbito do programa dedicado da Comissão Europeia (EUSST), onde faz parte de um consórcio juntamente com a França, Alemanha, Grã-Bretanha e Itália para a liderança deste programa. No marco do sistema espanhol S3T, a GMV é responsável pelo desenvolvimento do centro de operações (S3TOC). Esse centro recolhe dados de telescópios ópticos e radares espanhóis, bem como de fontes externas, para manter um catálogo de objectos a orbitar à volta da Terra. A partir deste catálogo prestam-se serviços de alerta de colisão para que os satélites operacionais possam prever e evitar colisões, detectar fragmentações (causadas por colisões ou explosões) em órbita de reentrada de objectos não controlados para predizer o seu ponto de impacto. Estes serviços coordenados pela GMV serão prestados a um grande número de potenciais utilizadores entre os quais se encontram os operadores de satélites, não apenas espanhóis mas também europeus em geral.

Os serviços do S3TOC baseiam-se em sistemas e tecnologias operacionalmente testadas. A médio prazo espera-se que as capacidades do centro cresçam através da utilização de maior número de sensores para dar cobertura global a todo o tipo de missões espaciais, tanto em órbita baixa (por exemplo, missões de observação da Terra), como média (utilizada por missões de navegação como Galileo) e geoestacionária (utilizada principalmente por missões de comunicação por satélite).

Até agora, apenas os Estados Unidos e a Rússia tinham capacidades avançadas para manutenção de um catálogo global de lixo espacial e para o fornecimento de serviços de SST. A Europa ambiciona desenvolver estas capacidades através do programa da Comissão Europeia, tendo esta iniciativa colocado a Espanha na vanguarda europeia da monitorização do lixo espacial.

A GMV é um dos principais actores a nível mundial no âmbito do lixo espacial, prestando os seus próprios serviços e desenvolvendo a sua própria tecnologia há mais de uma década. Actualmente conta com uma equipa de aproximadamente 20 pessoas em 5 países que trabalham em programas de vigilância e seguimento de lixo espacial.

S3T