GMV consegue novo contrato no âmbito do programa Galileo

A Comissão Europeia adjudicou à GMV um contrato-marco para o fornecimento da infra-estrutura do canal de retorno (Return Link Service Provider - RLSP) do Serviço de Busca e Resgate (Search and Rescue Service - SAR) do Programa Europeu de Navegação Galileo. O montante do Contrato é de 4 milhões de euros e tem uma duração prevista de quatro anos.

SAR 0

O Serviço de Busca e Resgate (SAR) de Galileo oferecerá importantes melhorias ao sistema de busca e resgate que existe actualmente como, por exemplo, a recepção quase em tempo real de mensagens de socorro transmitidas a partir de qualquer ponto da Terra, a localização exacta de alertas, a detecção de alertas por múltiplos satélites para evitar bloqueio em condições de pouca visibilidade dos satélites, assim como uma maior disponibilidade do segmento espacial (30 satélites em órbita terrestre, média à qual se acrescentam os cinco satélites em baixa órbita terrestre e os seis satélites geoestacionários do actual sistema). Galileo introduzirá também novas funções, tais como o canal de retorno (do operador do SAR à baliza emissora de socorro), facilitando as operações de resgate e ajudando a reduzir o índice de falsos alarmes.

O RLSP é a instalação responsável pela geração de mensagens de retorno de Galileo e pela sua coordenação com o sistema que interage com a rede Cospas-Sarsat, por um lado, e com o segmento terrestre de Galileo, por outro lado.

O consórcio liderado pela GMV e do qual também fazem parte as empresas francesas PROSICA e AMOSSYS, empreenderá a concepção e o desenvolvimento do RLSP, a sua validação e instalação no Centro de Serviço SAR/Galileo, assim como a sua manutenção e suporte aos testes de integração no sistema.

O contrato ficará sob o controlo da Comissão Europeia, com a assistência técnica da Agência Espacial Francesa (CNES) como futuro operador do serviço de busca e resgate de Galileo.

O desenvolvimento e a instalação do RLSP enfrentam uma série de desafios associados à segurança do Programa Galileo e sua infra-estrutura. Não há dúvida que as ciberameaças representam hoje um risco significativo para todas as infra-estruturas críticas, como as de Galileo. A conectividade entre o RLSP e a infra-estrutura central de Galileo, por um lado, e a rede Cospas-Sarsat dos Centros de Controlo da Missão (MCC), por outro lado, através do MCC francês, requer a implementação de redes seguras e barreiras específicas de protecção com meios adequados de vigilância para evitar a penetração de elementos externos na rede Galileo.

A garantia da segurança do RLSP é portanto um elemento essencial que a GMV, como empresa de vanguarda no campo da Cibersegurança, terá muito presente no seu desenvolvimento, assumindo os reptos associados à sua segurança para evitar ciberataques.

Galileo

Este contrato vem somar-se a um grande número de acordos prévios que incluem o fornecimento de vários elementos-chave do segmento terrestre do sistema, tais como o OSPF (Orbit & Synchronisation Processing Facility), o IPF (Integrity Processing Facility), o SPF (Service Product Facility), o FDF (Flight Dynamics Facility) e o MNE (MDDN Network Equipment). Actualmente a GMV é também a principal contratada para a prestação dos serviços de geodesia e sincronização exacta de tempo (TGVF) de que o sistema Galileo necessita para o seu funcionamento, co-lidera o desenvolvimento do Centro Europeu de Serviços de Navegação por Satélite (GSC) e lidera o desenvolvimento do demonstrador do Serviço Comercial (CS) de Galileo.