Espaço

O espaço para todos

Space for everyone
https://youtu.be/QkuSQGIMGIA
Visão geral

O espaço para todos

A GMV proporciona a agências espaciais, operadores de satélites e clientes do setor espacial de todo o mundo as melhores soluções de alta tecnologia para satisfazer as suas necessidades e obter resultados excelentes.

Consolidou-se como um parceiro proativo e fiável, que oferece tanto aplicações como soluções e serviços complexos de hardware e software crítico para ultrapassar os desafios que o setor espacial enfrenta.

Concebe para uma ampla variedade de missões espaciais sistemas de terra e de voo que proporcionam informação de posicionamento, navegação, comunicação, segurança, ciência, exploração e climatologia.

+ 1800 empregados

a trabalhar no setor espacial, o que representa 2,4 % de todo o pessoal da indústria espacial europeia

6.º grupo industrial

do setor espacial europeu, depois da Airbus, ThalesAlenia, Ariane, Leonardo e OHB

Mais de 900 satélites

e veículos espaciais incorporam tecnologia da GMV

1 fornecedora mundial

de centros de controlo de satélites

Subsetores

Áreas de atividade por segmento de atividade espacial

Informação geral sobre a GMV no programa Galileo

A GMV é um ator chave no desenvolvimento do segmento terrestre e nas operações do programa Galileo, assim como no desenvolvimento de recetores e aplicações do Serviço Público Regulado (PRS, segundo as suas siglas em inglês). As atividades que leva a cabo incluem:

  • O desenvolvimento, evolução e manutenção do segmento terrestre de controlo da Galileo (GCS) conta com a GMV como principal empreiteira da ESA. O GCS inclui todos os elementos da infraestrutura do segmento terrestre usados para monitorizar e controlar os satélites Galileo de primeira (G1G) e segunda (G2G) geração, incluindo a operação dos mesmos durante as fases de lançamento e transferência orbital (LEOP).
  • O desenvolvimento, evolução e manutenção de elementos chave do segmento terrestre de missão da Galileo (GMS), como o sistema de determinação precisa de órbita e sincronização de tempos (Orbit Synchronisation Processing Facility, OSPF) e o contexto de ferramentas de engenharia (ETE) utilizadas para análise de prestações. A GMV participa também no desenvolvimento dos sistemas GSMC e POCP de monitorização da segurança e serviços PRS, incluídos no marco contratual do segmento terrestre de missão da Galileo.
  • A GMV é a principal empreiteira no desenvolvimento da infraestrutura de vários centros de serviço Galileo, entre os quais se incluem o Centro Europeu de Serviços GNSS (Global Navigation Satellite System, GSC), o Centro de Referência da Galileo (GRC), o centro de operações do canal de retorno do serviço de busca e resgate (SAR-RLSP), o gerador de dados de alta precisão (HADG) e o sistema de geodesia e sincronização precisa de tempo (TGVF).
  • Atualmente, a GMV é uma das principais empreiteiras selecionadas pela ESA para a conceção de toda a segunda geração de segmento terrestre da Galileo. A GMV foi também selecionada para o desenvolvimento de diversos elementos chave, como o banco de testes do sistema (G2STB), o simulador de radiofrequência e os recetores de teste dos novos sinais transmitidos pelos satélites de segunda geração.
  • A GMV também participa ativamente nas operações do programa Galileo, formando parte da equipa de operações do Centro de Controlo Galileo em Oberpfaffenhofen (Alemanha).
  • A empresa desenvolve aplicações do Serviço Público Regulado (PRS) da Galileo, dispondo de desenvolvimentos próprios de recetores para este serviço. Adicionalmente, a GMV desenvolve os sistemas empregues pela autoridade espanhola competente em PRS (CPA) para a gestão do serviço em território nacional.

Segmento de controlo em terra da Galileo

Desde 2018, a GMV é a empreiteira principal selecionada pela ESA para o desenvolvimento, evolução e manutenção do segmento de controlo em terra da Galileo (GCS), incluindo:

  • O desenvolvimento de todos os elementos empregues para a monitorização e controlo de toda a constelação Galileo.
  • A implementação de evoluções tecnológicas na infraestrutura.
  • Os elementos necessários para realizar as operações de novos satélites durante as fases de lançamento e transferência orbital (LEOP).
  • As tarefas de cibersegurança e certificação de segurança de todo o sistema de controlo em terra.

O valor do contrato atinge 250 milhões de euros e a organização industrial liderada pela GMV inclui uma dúzia de empresas e uma equipa de mais de 150 pessoas com dedicação completa ao projeto.

Em 2023, a GMV foi novamente selecionada pela ESA para realizar as evoluções necessárias no GCS para o controlo e validação em órbita da segunda geração (G2G) de satélites Galileo.

O novo contrato junta-se aos já assinados pela GMV para a primeira geração, superando assim os 500 M€ contratados desde 2018

Segmento de missão em terra da Galileo

A GMV desenvolve os elementos centrais do segmento de missão em terra da Galileo, incluindo a Orbit Synchronization Processing Facility (OSPF). Também desenvolveu o Integrity Processing Facility (IPF) na fase de validação em órbita (IOV), o sistema de monitorização da rede (MNE) e o Service Product Family (SPF) até à fase de capacidade plena de operações (FOC). Além disso, é responsável pelo ambiente de engenharia de ferramentas (ETE) que abrange protótipos da maioria de elementos da GMS.

A GMV também está a desenvolver parte da infraestrutura do GSMC em GSMC-S e POCP-S, como parte do enquadramento contratual do segmento de missão em terra da Galileo.

Centros da Galileo

A GMV é a empresa europeia líder no desenvolvimento de centros de serviço Galileo, sendo a principal empreiteira dos seguintes contratos para clientes como a ESA ou a EUSPA:

  • Desenvolvimento, operação e manutenção para a ESA do sistema de geodesia e sincronização precisa de tempo (TGVF) da Galileo situado na Holanda.

  • Desenvolvimento, operação e manutenção para a EUSPA do Centro de Referência da Galileo (GRC) situado na Holanda.

  • Desenvolvimento e manutenção para a EUSPA da infraestrutura do Centro de Serviços GNSS europeu (GSC), situado em Espanha.

  • Desenvolvimento e manutenção para a EUSPA da infraestrutura terrestre necessária para o funcionamento do canal de retorno do serviço de busca e resgate (RLSP-SAR), situado em França.

  • Desenvolvimento e manutenção para a EUSPA do gerador de dados (HADG) para o fornecimento do novo serviço global de alta precisão (HAS) da Galileo, ativo desde o dia 24 de janeiro de 2023.

  • Desenvolvimento e manutenção para a ESA do Centro GNSS de Apoio à Ciência (GSSC), localizado nas instalações da ESA em Madrid (ESAC).

Galileo PRS

O serviço público regulado (PRS) da Galileo é um serviço de posicionamento caracterizado pela sua maior resiliência e continuidade de serviço em condições adversas de operação. O acesso ao serviço está limitado a utilizadores governamentais devidamente autorizados.

A GMV desenvolve diversas aplicações do Serviço Público Regulado (PRS) da Galileo, dispondo de desenvolvimentos próprios de recetores para este serviço, como é o caso do recetor PRESENCE2. Adicionalmente, a GMV desenvolve os sistemas empregues pela autoridade espanhola competente em PRS (CPA), o Instituto Nacional de Técnica Aeroespacial (INTA) para a gestão deste tipo de serviços em território nacional, incluindo os denominados POC-IS e canal secundário.

A GMV participa muito ativamente em projetos piloto do serviço PRS, tanto nacionais como europeus, conjuntamente com unidades militares de emergência, serviços geográficos, observatórios navais e centros de experimentação. A GMV realizou também campanhas de prova do serviço PRS em várias expedições científicas na Antártida.

A GMV faz parte de uma equipa industrial encarregada da evolução e manutenção do centro de monitorização da segurança da Galileo (Galileo Security Monitoring Centre - GSMC) e da plataforma de contacto (Point of Contact Platform - POCP), cujos desenvolvimentos estão incluídos no marco contratual do segmento terrestre de missão (GMS) da Galileo. Como parte do desenvolvimento do segmento terrestre de controlo (GCS) da Galileo, a GMV é também responsável pelo desenvolvimento dos sistemas de gestão de chaves dos satélites (Key Management Facility – KMF), incluindo as chaves PRS.

A GMV participa na definição da evolução do serviço PRS, sendo uma das principais empreiteiras selecionadas pela ESA para o desenho da segunda geração de segmento terrestre da Galileo, e desenvolve também diversos elementos chave como o simulador e os recetores de prova dos novos sinais PRS transmitidos pelos satélites de segunda geração.

Operações do programa Galileo

A GMV faz parte da equipa que está a cargo das operações do sistema Galileo levadas a cabo no Centro de Controlo situado em Oberpfaffenhofen (Alemanha).

Os engenheiros da GMV supervisionam os contactos diários com os satélites, realizam análises de tendências e participam em diversos procedimentos especiais de operação, estando disponíveis em todo o momento para ajudar a resolver qualquer contingência que possa surgir.

Os engenheiros da GMV também são responsáveis pelo desenvolvimento e validação de novos procedimentos e ferramentas de apoio às operações, tendo um papel chave na automatização de tarefas, que é fundamental à medida que a constelação de satélites cresce e incorpora novos modelos e gerações de satélites.

Segunda geração da Galileo

A GMV é uma das principais empreiteiras selecionadas pela ESA para o desenho da segunda geração de segmento terrestre (GSEG) da Galileo, que inclui todos os elementos de controlo, missão, redes de comunicações e monitorização da segurança em terra.

A GMV desenvolve também o denominado banco de testes da segunda geração do sistema Galileo (G2STB). Para além de proporcionar à ESA uma plataforma de verificação e validação do sistema, o G2STB irá permitir a realização de diversas atividades de monitorização, resolução de problemas, desenvolvimento de protótipos de novos serviços e tarefas de experimentação relacionadas com o sistema Galileo.

Em 2023, a GMV foi novamente selecionada pela ESA para realizar as evoluções necessárias no GCS para o controlo e validação em órbita da segunda geração (G2G) de satélites Galileo.

A ESA confiou também à GMV o desenvolvimento de diversos elementos chave, como o simulador de radiofrequência e os recetores de teste dos novos sinais transmitidos pelos satélites de segunda geração, assim como diversas ferramentas para a otimização de trajetórias e análise de missão da constelação.

Informação geral sobre tecnologias PNT (Posicionamento, navegação e tempo)

As tecnologias de posicionamento, navegação e sincronização de tempo (PNT) são uma área essencial da especialização e do conhecimento prático da GMV. A empresa desenvolve diversas soluções tanto a nível de infraestrutura para fornecimento de serviços (upstream) como a nível de aplicações (downstream).

A GMV acumula uma experiência inigualável em engenharia de sistemas GNSS, desenvolvimento de algoritmos de processamento, desenvolvimento de software crítico e desenvolvimento de ferramentas de análise de prestações, sendo uma das empresas com participação mais relevante nos programas GNSS europeus, EGNOS e Galileo.

Em meados de 2018, a Agência Espacial Europeia (ESA) adjudicou à GMV o contrato para o desenvolvimento, evolução e manutenção do segmento terrestre de controlo da Galileo (GCS).

A GMV desenvolveu também elementos chave do sistema EGNOS como o centro de processamento do sistema (CPF-PS), responsável por gerar as mensagens de correção transmitidas pelo sistema.

Fora do mercado europeu, a GMV participa no desenvolvimento do sistema SouthPAN (Southern Positioning Augmentation Network), uma iniciativa conjunta dos Governos da Austrália e da Nova Zelândia para proporcionar serviços de navegação e posicionamento preciso por satélite em ambos os países.

No mercado de aplicações, a GMV foi uma empresa pioneira em todo o mundo no desenvolvimento e implementação de sistemas inteligentes de transporte baseados em GNSS (Global Navigation Satellite System), comunicações móveis e sistemas de informação geográfica (GIS). A GMV oferece soluções integrais chave na mão prontas para funcionar nos diferentes meios de transporte terrestre, marítimo e ferroviário, soluções de posicionamento preciso para o mercado da condução autónoma, soluções PNT de alta resiliência para os mercados de defesa e segurança e diversos produtos e serviços para sincronização precisa de tempos.

Produtos

Plataforma de engenharia, análise e validação de sistemas SBAS

Solução de posicionamento de alta precisão, fiável e seguro

Solução web de posicionamento preciso baseado em GNSS (Global Navigation Satellite System)

Banco de testes avançado de SBAS (Sistema de Aumentação Baseado em Satélites) operacional

Monitorização do espetro GNSS para proteger o que é mais valioso

O XRC (eXperimental Receiver Canvas) é um recetor SW que permite o processamento de inúmeros sinais de GNSS em diversas abordagens

Sistema de aumentação baseado em satélites (SBAS)

A GMV desenvolveu elementos chave do sistema EGNOS, o sistema europeu de aumentação baseado em satélites (SBAS), entre os quais se incluem:

  • O sistema central de processamento (CPF-PS), o coração de EGNOS, responsável por gerar as mensagens de correções e integridade que se transmitem aos utilizadores.
  • O sistema de acesso a dados (EDAS), que permite o acesso pela Internet às mensagens transmitidas pelo sistema EGNOS, assim como aceder a serviços adicionais de valor acrescentado aos utilizadores.
  • O sistema EURONOTAM, encarregado de gerar e enviar avisos (NOTAM) a utilizadores aeronáuticos.
  • Diversas ferramentas de análise, entre as quais se inclui a plataforma específica de qualificação de aplicações (ASQF) do sistema EGNOS.

Fora do mercado europeu, a GMV participa no desenvolvimento do sistema SouthPAN (Southern Positioning Augmentation Network), uma iniciativa conjunta dos Governos da Austrália e da Nova Zelândia para proporcionar serviços SBAS e de posicionamento preciso por satélite (PPP) em ambos os países. O SouthPAN é o primeiro sistema destas características disponível no hemisfério sul. A GMV é responsável pelo desenvolvimento de dois subsistemas chave de SouthPAN: o centro de processamento (Corrections Processing Facility, CPF) e o centro de controlo em terra (Ground Control Centre, GCC). Para além disso, a empresa irá encarregar-se de monitorizar e assegurar o cumprimento das prestações do sistema na região e irá proporcionar suporte à operação e manutenção do mesmo.

A GMV levou a cabo diversos projetos de demonstração da tecnologia SBAS em diferentes regiões, utilizando para isso uma solução própria denominada magicSBAS. A plataforma magicSBAS permite implementar, de forma muito ágil e em qualquer região do mundo, um sistema de demonstração SBAS, que inclui os serviços multi-frequência e multi-constelação de segunda geração. magicSBAS foi empregue com enorme êxito em diversos projetos piloto na América Central, América do Sul, África, Ásia, Austrália e Nova Zelândia.

Produtos

Banco de testes avançado de SBAS (Sistema de Aumentação Baseado em Satélites) operacional

Solução web de posicionamento preciso baseado em GNSS (Global Navigation Satellite System)

Sistema de aumentação baseado em satélites (SBAS)

A GMV desenvolveu a sua própria solução de posicionamento preciso, chamado GMV GSHARP ®, que se oferece como solução comercial para diferentes mercados, como os de automóvel, agricultura de precisão, topografia e espaço.

GMV GSHARP ® proporciona a seguinte informação em tempo real:

  • Correções globais (órbitas, relógios, mensagens de código e de fase) a todas as constelações de GNSS para posicionamento de alta precisão (< 10 cm 95 %).
  • Correções atmosféricas regionais para posicionamento instantâneo (< 1 min).
  • Informação de integridade para aplicações críticas como condução autónoma (com certificação ASIL-B).
  • Medidas virtuais de GNSS para utilizadores de posicionamento diferencial como RTK.
  • Medidas da rede global de estações GNSS da GMV.

O serviço de correções GMV GSHARP ® baseia-se numa solução software de processamento proprietária da GMV, alimentada com dados de uma rede global de estações GNSS implementada e operada pela empresa. Baseada numa infraestrutura redundante com dois centros geograficamente independentes e operados 24/7, esta solução permite à GMV oferecer acordos de nível de serviço (SLA) com altos níveis de disponibilidade (>99,9%).

A versatilidade da solução GMV GSHARP ® permite cobrir um amplo espetro de necessidades de utilizador; desde os que somente procuram precisão (tanto a nível absoluto, PPP, como diferencial, RTK) como os que requerem um nível de integridade adicional para aplicações críticas, como é o caso dos veículos autónomos.

GMV GSHARP ® inclui também uma solução de utilizador compatível com o serviço de correções, que pode ser adaptada e otimizada para diferentes plataformas de utilizador, em função das necessidades e requisitos de cada cliente. Para além de empregar as correções geradas pelo serviço da GMV para dar um posicionamento íntegro e de alta precisão, a solução de utilizador inclui algoritmos de fusão de dados de outros sensores, tais como inerciais e odómetros.

Produtos

Banco de testes avançado de SBAS (Sistema de Aumentação Baseado em Satélites) operacional

Solução web de posicionamento preciso baseado em GNSS (Global Navigation Satellite System)

Solução de posicionamento de alta precisão, fiável e seguro

Soluções PNT (Posicionamento, navegação e tempo) resilientes de confiança

A GMV é uma fornecedora consolidada de soluções PNT de alta resiliência para os mercados de defesa e segurança nacional.

O catálogo de soluções oferecidas pela GMV inclui:

  • Soluções para a exploração do serviço público regulado (PRS) de Galileo, baseadas na família de recetores PRESENCE desenvolvidas pela GMV, com capacidade de funcionamento em modo primário, com canal secundário e em modo servidor mediante integração com redes TETRA/LTE. Todas estas soluções implementam técnicas avançadas de deteção e mitigação de interferências e ataques de usurpação de identidade (anti-spoofing).
  • Sistemas avançados de deteção e análise de interferências em GNSS, como srx-10i e DETECTOR.

Produtos

Monitorização do espetro GNSS para proteger o que é mais valioso

A GMV desenvolveu um catálogo próprio de soluções para a geração de escalas de tempo UTC e distribuição de tempo preciso através de redes terrestres.

A GMV opera uma realização UTC com uma arquitetura de alta redundância e disponibilidade baseada em relógios atómicos, que se utiliza como base para a geração de uma escala UTC própria, rastreável à hora oficial espanhola proporcionada pelo Real Observatório da Armada (ROA) (Espanha) assim como a outros laboratórios UTC europeus.

A referida realização UTC permite à empresa oferecer o Serviço WANtime, que permite distribuir tempo UTC por fibra ótica. O desenho de WANTime tem em conta os requisitos de sincronização derivados do regulamento europeu MiFID II para centros de processamento de dados do setor financeiro. A solução garante o acesso a um sinal de tempo UTC em situações nas quais não é possível instalar uma antena, em contextos com escassa visibilidade de satélites ou com risco de interferências nos sinais transmitidos pelos satélites GNSS.

O catálogo de soluções inclui também os dois seguintes produtos:

  • Estação WANTime, orientada a aplicações ePRTC para o mercado de telecomunicações, capaz de proporcionar, em combinação com um relógio atómico, tempo preciso UTC e com capacidade de funcionamento autónomo durante mais de 100 dias no caso de perda dos sinais GNSS.

  • Recetor WANTime, de baixo custo e com GNSS multibanda, orientado a aplicações diversas de sincronização, com saída 1PPS calibrada, saída de 10 - MHz e servidor NTP integrado.

Informação geral

A GMV oferece segmentos terrenos completos para missões de satélites de telecomunicações, incluindo dinâmica de voo, planificação de missões, sistemas de vigilância e controlo de satélites em tempo real, estações terrestres M&C e soluções de gestão da carga de pagamento.

A GMV é a principal fornecedora independente de sistemas de controlo em terra no mundo. Mais de 40 operadores e agências de telecomunicações e mais de 300 satélites selecionaram a tecnologia da GMV, e 40 % de todos os COMSAT comerciais lançados nos últimos 10 anos estão controlados com os nossos produtos e soluções.

Desde o primeiro momento, os nossos produtos navegam pelas principais plataformas comerciais de satélites do mundo e proporcionam um suporte operacional homogéneo para qualquer número de satélites, seja qual for o modelo ou fabricante.

A sua gama de produtos para telecomunicações permite desde a operação manual até à não assistida (lights out), para além de opções ilimitadas de personalização, pelo que se adaptam aos nossos clientes, e não ao contrário.

A GMV também proporciona suporte operacional a uma série de operadores de satélites de telecomunicações.

Produtos

Ferramentas do sistema de dinâmica de voo para operações da fase de lançamento de satélite e órbita precoce (LEOP), incluindo as estratégias de transferência

Suporte à gestão de constelações de satélites

Ferramentas do sistema de dinâmica de voo para satélites em órbita terrestre baixa (LEO) e média (MEO)

Suporte ao ciclo completo de operações de dinâmica de voo para satélites geoestacionários

Definição, avaliação e otimização de estratégias de manutenção de órbita para satélites geoestacionários.

Uma linha de produtos única para todas as operações de dinâmica de voo

Monitorização e controlo de satélites

Arquivo de parâmetros de telemetria de satélite e de terra

Automatização de procedimentos de satélite e de terra

Os seus recursos terrestres sob controlo

Controlo de satélites e missões

A GMV trabalha em sistemas de comando e controlo de satélites desde 1986 e, depois de tantos anos, converteu-se indiscutivelmente no fornecedor principal dos operadores comerciais de telecomunicações. Cerca de 40 % dos lançamentos de satélites de telecomunicações globais estão controlados pela nossa carteira de produtos, concretamente pelas famílias hifly® e fleet.

A GMV proporciona suporte imediato para comando e controlo a todas as plataformas de satélites de telecomunicação comercialmente relevantes, desde as formadas por um único nanosatélite até soluções megaconstelação, incluindo as de Astrium, Boeing Satellite Systems, Lockheed Martin, Northrop Grumman, Maxar, Thales Alenia Space, Mitsubishi Electric Space Systems, OHB Space Systems, ISRO e ISS Reshetnev.

Os seus sistemas de comando e controlo são usados por operadores institucionais de ambos os lados do Atlântico (NASA Goddard, NASA Johnson, USGS, JPL, Agência Espacial Europeia, EUMETSAT, CNES, etc.), assim como por operadores comerciais de todo o mundo (Arabsat, Azercosmos, BRISat, Eutelsat, Hispasat, Hellas SAT, MEASAT, NBN Co, Nilesat, Optus, SES Astra, SES Americom, SES New Skies, SES-Sirius, Star One, Thaicom, Turksat e Visiona).

Produtos

Monitorização e controlo de satélites

Arquivo de parâmetros de telemetria de satélite e de terra

Automatização de procedimentos de satélite e de terra

Dinâmica de voo

A GMV é uma referência mundial em sistemas de dinâmica de voo operacional e determinação de órbita. Uma das chaves do êxito reside na excelência da sua tecnologia e dos seus produtos COTS (Serviços comerciais de transporte orbital) (família focusSuite), que é o resultado de um investimento em I+D notável e sustentado.

A GMV é a fornecedora líder à escala mundial de centros de controlo para operadores de satélites de telecomunicações. Os seus produtos mais vendidos são os sistemas de dinâmica de voo, que já estão presentes em mais de 300 satélites.

Os produtos COTS (Serviços comerciais de transporte orbital) diferenciam a GMV de outros concorrentes uma vez que proporcionam uma solução de voo provada multimissão e multiplataforma que se pode configurar e escalar facilmente para dar suporte a futuras missões. De facto, a GMV não só é compatível com a maioria das plataformas comerciais de fabricantes norte-americanos e europeus, mas também com as de fabricantes de outras regiões, como é o caso do asiático MELCO.

A família focusSuite da GMV abrange uma ampla gama de produtos de suporte a operações de dinâmica de voo em todo o tipo de missões, como GEO, HEO, LEO, MEO e constelações. Algumas das funções únicas que proporciona são a automatização, a análise da conjunção e as ferramentas avançadas de visualização e análise.

A carteira de clientes da GMV no setor das telecomunicações inclui, entre outros, Arabsat, Avanti, Azersat, BRIsat, Eutelsat, GalobalIP, Globalstar, HellasSat, Hispasat, Hisdesat, Inmarsat, Intelsat, Jsat Skyperfect, Measat, NBN.co, Newsat, Nilesat, O3B, Optus, PSN, Space Norway, StarOne, Telenor, Telespazio, Thaicom, Türksat, Visiona, Worldspace e Yahsat.

 

Produtos

Ferramentas do sistema de dinâmica de voo para operações da fase de lançamento de satélite e órbita precoce (LEOP), incluindo as estratégias de transferência

Suporte à gestão de constelações de satélites

Ferramentas do sistema de dinâmica de voo para satélites em órbita terrestre baixa (LEO) e média (MEO)

Suporte ao ciclo completo de operações de dinâmica de voo para satélites geoestacionários

Definição, avaliação e otimização de estratégias de manutenção de órbita para satélites geoestacionários.

Uma linha de produtos única para todas as operações de dinâmica de voo

Sistemas de gestão da carga de pagamento

A GMV participou no fornecimento de soluções de gestão de cargas de pagamento no setor das telecomunicações desde 2006, ano em que se instalou smart rings no satélite AMC-14. Hoje, a carteira de produtos smart payload, destinados à gestão inteligente de cargas de pagamento, satisfaz as necessidades de todo o tipo de cargas de pagamento do setor das telecomunicações, desde as tradicionais até às definidas por software. Deste modo, conseguem-se operações simples e seguras que otimizam os recursos de satélites ao mesmo tempo que minimizam as interferências.

Estas ferramentas integram-se nos restantes produtos da GMV para facilitar o controlo de satélites e missões, o que dá lugar a operações altamente autónomas, se for esse o desejo.

A GMV oferece produtos prontos para usar, CONOPS e suporte durante toda a missão, apesar de as opções de personalização serem ilimitadas. A família de produtos smart payload incorpora algoritmos de várias fontes:

  • Do fabricante: integra algoritmos proporcionados pelo fabricante da carga de pagamento.
  • De desenvolvimento próprio: A GMV desenvolve algoritmos próprios (solucionador de redundância em anéis bent pipe, antenas mecânicas dirigíveis, etc.).
  • Públicos: A GMV implementa algoritmos públicos (classificação de sinais múltiplos MUSIC, ITU-R, DVB-S2, etc.)

As referências principais da GMV são Arabsat, Avanti, Eutelsat, Hellasat, Hispasat, Optus, Star One, Turksat, Visiona e Yahsat.

Monitorização e controlo de estações terrestres

A carteira de produtos da GMV proporciona funções de monitorização e controlo (por exemplo, mediante os produtos da família magnet) para estações terrenas de missões de telecomunicações.

As nossas soluções abrangem desde sistemas de uma só antena até redes de estações terrenas multi-antena distribuídas geograficamente, integradas numa interface única e homogénea que abrange a monitorização e o controlo locais e remotos, e que permite desde operações manuais até operações totalmente automatizadas (baseadas em procedimentos) para uma reconfiguração rápida e reativa das cadeias terrestres.

As nossas referências principais são Eutelsat, Azercosmos, NBN Co, Visiona, Gilat & NWIEE, Pasifik Satelit Nusantara (PSN), EUMETSAT (EPS Second Generation) e Bank Rakyat Indonesia (BRI).

Produtos

Os seus recursos terrestres sob controlo

Arquivo de parâmetros de telemetria de satélite e de terra

Automatização de procedimentos de satélite e de terra

Informação geral

A GMV desenvolveu sistemas para 80 satélites de observação da Terra (EO) de missões da Agência Espacial Europeia, EUMETSAT, Copernicus, CNES, DLR, NASA e Hisdesat.

A companhia desempenha um papel importante nas missões meteorológicas europeias, uma vez que é a empreiteira principal dos segmentos de controlo em terra de segunda geração do sistema polar de EUMETSAT (EPS SG) e de terceira geração do Meteosat (MTG). Também desenvolvemos sistemas de processamento de dados de instrumentos e a ferramenta de qualidade dos instrumentos da MTG. No âmbito da EPS SG, a GMV está a desenvolver o Protótipo de Processador em Terra do dispersómetro.

Também realizou contribuições chave, como centros de controlo de satélites, dinâmica de voo, planificação de missões, simulações de extremo a extremo e processamento de dados de instrumentos, em todas as missões Earth Explorer da Agência Espacial Europeia (incluindo SMOS, GOCE, Aeolus, Cryosat, Swarm e EarthCare).

Copernicus, o maior programa de observação da Terra do mundo, também incorpora uma grande parte de tecnologia da GMV. Para este programa, a GMV desenvolveu os centros de controlo de satélites e os sistemas de dinâmica de voo de todos os Sentinels. Também desenvolveu simuladores de satélite, planificação de missões e sistemas de processamento de instrumentos para a maioria dos Sentinels. Além disso, proporciona o serviço operacional de determinação precisa de órbita (POD) para todo o Copernicus e subscreveu um grande contrato-quadro com a UE para a definição da próxima geração do segmento espacial do Copernicus.

A GMV também é um dos principais colaboradores do Programa Nacional de Observação da Terra, em que todas as capacidades da empresa se uniram para que o rendimento dos satélites Paz e Ingenio seja excelente. E também colaborou com a NASA e a NOAA nas suas missões Landsat, GOES-R e OCO. 

Produtos

Ferramentas do sistema de dinâmica de voo para operações da fase de lançamento de satélite e órbita precoce (LEOP), incluindo as estratégias de transferência

Suporte à gestão de constelações de satélites

Ferramentas do sistema de dinâmica de voo para satélites em órbita terrestre baixa (LEO) e média (MEO)

Suporte ao ciclo completo de operações de dinâmica de voo para satélites geoestacionários

Definição, avaliação e otimização de estratégias de manutenção de órbita para satélites geoestacionários.

Uma linha de produtos única para todas as operações de dinâmica de voo

Monitorização e controlo de satélites

Arquivo de parâmetros de telemetria de satélite e de terra

Automatização de procedimentos de satélite e de terra

Um sistema genérico de programação e planificação real

Earth Explorers

A contribuição da GMV às missões Earth Explorer da Agência Espacial Europeia é chave.

A GMV desenvolveu o sistema de controlo de missão para ERS-1, Cryosat 1/2, GOCE, SMOS, SWARM e Earthcare.

No âmbito do segmento terrestre de processamento de dados de carga de pagamento, a GMV desenvolveu os processadores de dados para SMOS (L0), Swarm L1b, L1b NRT & L2, EarthCARE L0, BBR L1b, MSI L1b e Lidar L1b/L1c.

Os engenheiros da GMV que trabalham nas instalações da ESOC em Darmstadt, Alemanha, oferecem suporte de dinâmica de voo a todas as missões de observação da Terra, para além de suporte às operações.

A GMV proporcionou a análise de missão para BIOMASSA, FLEX, EarthCare, CarbonSat, CoReH2O e PREMIER.

No âmbito dos simuladores de satélite, a GMV proporcionou o simulador de prestações de extremo a extremo de FLEX e PREMIER, o simulador de instrumentos para CarbonSat e o simulador operacional de EarthCare.

Produtos

Ferramentas do sistema de dinâmica de voo para operações da fase de lançamento de satélite e órbita precoce (LEOP), incluindo as estratégias de transferência

Suporte à gestão de constelações de satélites

Ferramentas do sistema de dinâmica de voo para satélites em órbita terrestre baixa (LEO) e média (MEO)

Suporte ao ciclo completo de operações de dinâmica de voo para satélites geoestacionários

Definição, avaliação e otimização de estratégias de manutenção de órbita para satélites geoestacionários.

Uma linha de produtos única para todas as operações de dinâmica de voo

Monitorização e controlo de satélites

Arquivo de parâmetros de telemetria de satélite e de terra

Automatização de procedimentos de satélite e de terra

EUMETSAT

A GMV é um dos fornecedores principais da Eumetsat.

Assim, é a empreiteira principal do sistema de controlo e operações da missão (MCO) da segunda geração do sistema polar da Eumetsat (EPS SG) e do sistema de operação da missão (MOF) da terceira geração do Meteosat (MTG). São dois grandes contratos relacionados com a provisão da totalidade do segmento de controlo em terra das séries de satélites EPS-SG e MTG.

No caso da EPS-SG, a GMV também desenvolveu ferramentas e um simulador de dispersómetro para processamento em terra.

No caso da MTG, a GMV também é uma das principais colaboradoras do segmento terrestre de dados de carga de pagamento, uma vez que é responsável pelo desenvolvimento da ferramenta de qualidade do instrumento e de sistemas de processamento de dados de instrumentos.

Os peritos da GMV também prestam serviços in situ à Eumetsat nos âmbitos de operações e engenharia de sistemas de terra.

Copernicus

A GMV é uma das fornecedoras principais da infraestrutura do programa Copernicus.

A companhia desenvolveu os centros de controlo de satélites de todos os Sentinels. Também integrou para a EUMETSAT todo o segmento de operações de voo do terceiro Sentinel.

No segmento terrestre de dados de carga de pagamento, a GMV desenvolveu o sistema de processamento de instrumentos do segundo Sentinel, o software do instrumento de controlo da cor dos oceanos e da terra (OLCI), e a planificação da missão para os Sentinels primeiro, terceiro e sexto.

Também desenvolveu e executa o serviço operacional de determinação precisa de órbita (POD) para toda a constelação do programa Copernicus.

Na área dos simuladores operacionais, a GMV desenvolveu simuladores para os satélites Sentinel-1 e Sentinel-Sentinel-5P.

A GMV também desenvolve para a Comissão Europeia um contrato-quadro para definir a próxima geração de satélites do programa espacial Copernicus.

Produtos

Ferramentas do sistema de dinâmica de voo para operações da fase de lançamento de satélite e órbita precoce (LEOP), incluindo as estratégias de transferência

Ferramentas do sistema de dinâmica de voo para satélites em órbita terrestre baixa (LEO) e média (MEO)

Suporte ao ciclo completo de operações de dinâmica de voo para satélites geoestacionários

Definição, avaliação e otimização de estratégias de manutenção de órbita para satélites geoestacionários.

Uma linha de produtos única para todas as operações de dinâmica de voo

Suporte à gestão de constelações de satélites

PNOTS: Programa Nacional de Observação da Terra

Em Espanha, o Programa Nacional de Observação da Terra contou com a GMV como uma das suas principais colaboradoras.

No segmento espacial, a GMV desenvolveu atividades de análise de missão e, também, o simulador operacional de satélite Ingenio. O protótipo do processador em terra Ingenio também foi desenvolvido como parte do quadro contratual do segmento espacial.

No segmento terrestre, a GMV desempenhou um papel principal, uma vez que se encarregou da totalidade do segmento de controlo em terra dos satélites Ingenio e Paz. Entre as responsabilidades da empresa encontram-se os centros de controlo de satélites, a dinâmica de voo e a planificação da missão. O segmento terrestre de dados de carga de pagamento é outro em que a GMV desempenhou um papel importante, uma vez que se encarregou da planificação da missão e dos serviços ao utilizador.

Produtos

Ferramentas do sistema de dinâmica de voo para operações da fase de lançamento de satélite e órbita precoce (LEOP), incluindo as estratégias de transferência

Suporte à gestão de constelações de satélites

Ferramentas do sistema de dinâmica de voo para satélites em órbita terrestre baixa (LEO) e média (MEO)

Definição, avaliação e otimização de estratégias de manutenção de órbita para satélites geoestacionários.

Uma linha de produtos única para todas as operações de dinâmica de voo

Monitorização e controlo de satélites

Arquivo de parâmetros de telemetria de satélite e de terra

Automatização de procedimentos de satélite e de terra

Um sistema genérico de programação e planificação real

Suporte ao ciclo completo de operações de dinâmica de voo para satélites geoestacionários

DLR/NASA/NOAA

Os engenheiros da GMV participaram intensamente no desenvolvimento, lançamento e operações rotineiras de várias missões no DLR (Deutsches Zentrum für Luft- und Raumfahrt), em Oberpfaffenhofen (Alemanha).

Entre as missões de observação da Terra passadas e presentes incluem-se CHAMP, GRACE, TerraSAR-X, TanDEM-X, GRACE-FO e EnMAP.

Além disso, a GMV contribuiu significativamente em missões da NASA e da NOAA. As nossas referências principais são o sistema de dinâmica de voo GOES-R/S, o arquivo e a planificação da missão Landsat, e os sistemas de dinâmica de voo OCO/OCO-2 e GLORY, entre outras.

Produtos

Ferramentas do sistema de dinâmica de voo para operações da fase de lançamento de satélite e órbita precoce (LEOP), incluindo as estratégias de transferência

Suporte à gestão de constelações de satélites

Ferramentas do sistema de dinâmica de voo para satélites em órbita terrestre baixa (LEO) e média (MEO)

Suporte ao ciclo completo de operações de dinâmica de voo para satélites geoestacionários

Definição, avaliação e otimização de estratégias de manutenção de órbita para satélites geoestacionários.

Uma linha de produtos única para todas as operações de dinâmica de voo

Um sistema genérico de programação e planificação real

Informação geral

A GMV desenvolveu sistemas e tecnologia para satélites de exploração e ciência de missões da Agência Espacial Europeia, NASA e Agência Espacial Russa (Roscosmos), entre outras.

Tem uma participação destacada no segmento espacial, nas operações e no segmento terrestre. Entre os desenvolvimentos provenientes do segmento espacial existe análise de missão, simuladores de satélite, sistemas e tecnologias AOCS/GNC, software embarcado e ferramentas de validação. A oferta da GMV no segmento terrestre inclui tanto segmentos de controlo em terra como operações de rovers e centros de operações científicas. Os engenheiros da GMV também disponibilizam suporte operacional in situ à maioria das missões europeias de exploração robótica e científica.

Produtos

Um sistema genérico de programação e planificação real

Missões à Lua e a Marte

A GMV é uma das principais colaboradoras da missão Exomars da Agência Espacial Europeia. Para a Exomars 2016, desenvolveu o software embarcado do sistema GNC (Sistema de orientação, navegação e controlo) de entrada, descida e aterragem. Também se encarrega do software embarcado para Exomars 2021. Igualmente, no segmento terrestre, a GMV é responsável pela conceção, desenvolvimento, integração e validação do sistema de controlo do rover.

A GMV lidera as atividades tecnológicas da Agência Espacial Europeia orientadas a futuras missões em Marte, como a missão Mars Sample Return. Dispõe da tecnologia de controlo, navegação e orientação mais avançada da Europa para realizar missões complexas de aproximação e acoplamento, para além de operações autónomas com rovers.

Tem, também, um papel importante no âmbito da precisão na aterragem em futuras missões lunares, como Lua-Resurs, uma colaboração entre a Agência Espacial Europeia e a Agência Espacial Russa (Roscosmos), e na missão robótica Héracles.

Frota da Agência Espacial Europeia no sistema solar

A extensa colaboração da GMV com a Agência Espacial Europeia abarca inúmeras atividades em missões científicas da Agência.

A GMV desenvolveu os sistemas de controlo das missões Bepi-Colombo, SOLO e JUICE, e desempenhou um papel importante na equipa de operações e dinâmica de voo do Centro Europeu de Operações Espaciais da Agência Espacial Europeia (ESOC), incluindo o grande desafio que supõe a missão Rosetta.

O pessoal da GMV no Centro Europeu de Astronomia da Agência Espacial Europeia (ESAC) oferece suporte a operações científicas de todas as missões científicas desta Agência.

No segmento espacial, a GMV desenvolveu a câmara de navegação para JUICE e contribuiu para a missão AOCS. Também cumpriu funções importantes nas fases A/B1 das missões THESUES e SPICA.

A frota da Agência Espacial Europeia no espectro

A GMV também oferece suporte às missões da Agência Espacial Europeia mais além do sistema solar.

A empresa desenvolveu a totalidade do segmento de controlo em terra e o simulador de satélite de CHEOPS, a primeira missão da Agência Espacial Europeia de classe S.

O pessoal da GMV que trabalha no ESOC e no ESAC desempenha um papel importante na dinâmica de voo e nas operações.

A contribuição da GMV aos exigentes requisitos de processamento da missão Gaia foi notável. Também supervisiona o desenvolvimento e a validação do software embarcado em Euclid e Lisa Pathfinder.

A NASA e a Agência Espacial Russa

Para além do fornecimento para as missões da Agência Espacial Europeia, a GMV forneceu também outras agências, como a NASA e a Agência Espacial Russa. Alguns dos projetos principais são o orbitador de reconhecimento lunar (LRO) da NASA, para o qual a GMV desenvolveu o sistema de planeamento de missão.

No âmbito de um acordo de cooperação bilateral, a GMV concebeu e desenvolveu todo o segmento terrestre do Observatório Espacial Mundial-Ultravioleta (WSO-UV) da Agência Espacial Russa.

Produtos

Um sistema genérico de programação e planificação real

Informação geral

No âmbito de um contrato com o Centro Aeroespacial Alemão (DLR), engenheiros da GMV na Alemanha participaram durante muitos anos no projeto Columbus da Agência Espacial Europeia. O Columbus é o laboratório científico europeu e parte da estação espacial internacional.

O módulo é monitorizado e controlado a partir do Centro de Controlo do Columbus (Col-CC), situado no Centro Alemão de Operações Espaciais (GSOC) do DLR em Oberpfaffenhofen, perto de Munique (Alemanha).

As contribuições abrangem a conceção, a integração e a validação do sistema terreno até à manutenção da engenharia, das operações e do desenvolvimento de ferramentas de software.

Produtos

Suite de software baseada em web que oferece suporte 24/7 a operações críticas da missão

Segmento terrestre

A experiência da GMV em engenharia de sistemas em ambientes de missão crítica foi a chave na conceção, implementação, integração, validação e manutenção do segmento terrestre do Columbus.

Atualmente, a GMV participa na engenharia e nas operações sustentadas do sistema e dos subsistemas do segmento terrestre. Os seus engenheiros são responsáveis pela manutenção diária e pelas atualizações dos sistemas.

A experiência e as contribuições dos engenheiros da GMV abrangem uma ampla gama de subsistemas, que vão desde a distribuição de dados (DaSS), ao streamer de dados de alta velocidade, da monitorização, do controlo (MCS) e da distribuição de vídeo (ViDS) até à subrede terrestre de interconexão (IGS).

A GMV também está muito envolvida na conceção dos futuros sistemas de dados, por exemplo, no âmbito de um estudo da Agência Espacial Europeia sobre redes tolerantes ao atraso (DTN). Como parte deste projeto, foram investigados os possíveis benefícios da DTN e foram desenvolvidos cenários e um simulador para redes DTN.

Produtos

Suite de software baseada em web que oferece suporte 24/7 a operações críticas da missão

Operações e planificação

No Centro de Controlo do Columbus, a GMV é a principal fornecedora de serviços para operações em voo e em terra em tempo real. Os seus engenheiros monitorizam e controlam os sistemas térmicos, ambientais, informáticos e de alimentação embarcados, e interagem diretamente com a equipa de controlo do voo do Centro Espacial Johnson, em Houston, e com o Centro de Voo Espacial Marshall, em Huntsville, Alabama.

Os engenheiros de controlo em terra da GMV monitorizam e controlam os sistemas de telemetria e comando, vídeo e voz para dar suporte a todas as operações do Columbus. Os dados entrantes da ISS dirigem-se ao Centro de Controlo Columbus, onde se arquivam e se distribuem a 10 centros de utilizadores europeus. A GMV proporciona o suporte em tempo real necessário para o funcionamento e a manutenção do sistema terrestre.

Os seus planificadores de missões coordenam os experimentos embarcados com os centros de investigação europeus responsáveis, para garantir que todas as atividades tenham suficientes recursos atribuídos a bordo da ISS. No que se refere ao segmento terrestre, é a responsável por prestar apoio às atividades de preparação e planificação, respeitando sempre de forma estrita os requisitos e as limitações aplicáveis.

Produtos

Suite de software baseada em web que oferece suporte 24/7 a operações críticas da missão

Software

A GMV desenvolve aplicações de software em muitas áreas, como suporte a operações, simulações de sistemas complexos, visualização 3D, distribuição de dados a alta velocidade, vídeo, bases de dados e aplicações cliente/servidor, entre outras.

Todo este conhecimento prático, combinado com a nossa experiência em operações, permitiu-nos desenvolver um conjunto de ferramentas de suporte a operações (OST). Esta suite proporciona o enquadramento para processos como a geração de relatórios de problemas, o processamento de alterações, a programação de recursos, a gestão de eventos, a comunicação documentada e o fluxo de informação. Estas ferramentas modulares baseadas na web estão concebidas para serem facilmente transferidas para sistemas estrangeiros.

Com o objetivo de facilitar a formação em operações, os engenheiros da GMV desenvolveram o Columbus Desktop Trainer, um potente simulador que se pode configurar para utilizar dados simulados gerados internamente, dados do sistema em tempo real dirigidos ao Desktop Trainer ou uma combinação de ambos. Mais informação sobre o Columbus Desktop Trainer.

A GMV criou outro simulador de treino para simular uma antena de banda Ka, que proporciona ao módulo Columbus capacidades adicionais de ligação descendente e ascendente através da constelação EDRS. Este outro simulador foi desenvolvido usando o quadro ESOC SIMULUS, e a equipa de controlo do voo do Columbus usa-o para treino, simulações e validação de procedimentos.

A GMV também desenvolveu uma ferramenta de visualização 3D para a ISS e o módulo Columbus. O orbitSIM complementa a formação e as apresentações com uma visualização 3D interativa de alta qualidade e a simulação da mecânica das naves espaciais.

Produtos

Suite de software baseada em web que oferece suporte 24/7 a operações críticas da missão

Informação geral

A experiência cada vez mais dilatada da GMV em aviónica e em orientação, navegação e controlo a bordo fica patente no transporte espacial.

A GMV desenvolveu sistemas chave para uma série de sistemas de carga, como o ATV (Veículo automatizado de transferência), o IXV e o Space Rider. Nos lançadores, a GMV está a amadurecer a sua tecnologia de aviónica no âmbito do programa VEGA da Agência Espacial Europeia e mediante uma cooperação com a PLD Space.

Além disso, a GMV é uma das empresas europeias líderes no desenvolvimento de tecnologia avançada para os futuros sistemas de transporte espacial, como o seu avançado banco de testes de aviónica.

Veículos de carga

Desde a missão ATV (Veículo automatizado de transferência), o papel da GMV nas missões de carga é cada vez mais importante. Nesta missão, a GMV assumiu a responsabilidade de uma parte importante das operações e dinâmica de voo desde a primeira viagem, em 2008, até à última, em 2015.

A GMV desenvolveu o software embarcado no veículo experimental IXV da Agência Espacial Europeia, para além da parte de navegação do sistema GNC (Sistema de orientação, navegação e controlo) embarcado e a identificação dos parâmetros aerodinâmicos de reentrada. No programa Space Rider, também da Agência Espacial Europeia, a GMV tem responsabilidades similares.

Além disso, a empresa colaborou com a Sierra Nevada Corporation na análise do uso do Dream Chaser para a eliminação ativa de resíduos.

Lançadores

A GMV participou no desenvolvimento do software do programa de voo (FPS-A) para o VEGA. Além disso, foi responsável, juntamente com a AVIO, pelo desenvolvimento dos algoritmos, da definição, da prototipagem, dos testes e da validação de todos os aspetos do GNC (Sistema de orientação, navegação e controlo). Também prestou apoio na definição da nova aviónica (com um papel específico no equipamento do sistema), na caixa emuladora de sensores e nas caixas de comutação de separação do VEGA-C, assim como da unidade de controlo do motor do VEGA-E.

A GMV desenvolveu toda a aviónica do veículo Miura-1 para a PLD Space. Isto inclui o subsistema de potência e o de gestão de dados; o subsistema de orientação, navegação e controlo (GNC); o software embarcado, a gestão da carga  e da telemetria, para além da tecnologia de seguimento autónomo e o sistema de terminação. No final de 2019, após uma longa e minuciosa campanha de testes, funcionais e ambientais, o sistema de aviónica superou a fase de qualificação.

Finalmente, em outubro de 2023, o Miura-1 foi lançado com êxito a partir da base de lançamento INTA/CEDEA.

Informação geral

A Segurança Espacial abarca as áreas de climatologia espacial, lixo espacial (vigilância e gestão do tráfego espacial), defesa planetária e espaço limpo. O seu objetivo é prevenir, mitigar e remediar o impacto das atividades do homem no contexto espacial, proteger a sustentabilidade das futuras operações no espaço e proteger o nosso próprio planeta (os seus habitantes e infraestruturas) dos riscos provenientes do espaço.

Em todos estes âmbitos, a GMV converteu-se num líder a nível europeu e mundial. Nos domínios de Vigilância Espacial (Space Surveillance and Tracking: SST) e gestão do tráfego espacial (Space Traffic Management: STM), a GMV é a fornecedora de referência para o programa EU SST e para o programa de segurança espacial (Space Safety Program: S2P) da ESA, para além de contar com experiência e capacidade muito relevantes em aplicações militares e comerciais neste domínio. Em defesa planetária, a GMV faz parte da equipa encarregada do desenho da missão HERA, sendo responsável pelo sistema de orientação, navegação e controlo (Guidance Navigation and Control: GNC). Para além disso, a GMV é um dos atores principais nas áreas de eliminação de lixo espacial (Ative Debris Removal: ADR) e provisão de serviços em órbita (In-Orbit Servicing: IOS), nas quais dá suporte aos conceitos e missões mais prometedores, desenvolvendo tecnologias chave para os mesmos.

Produtos

Serviço de análise de conjunções e avaliação de riscos de colisão que fornece apoio a todo o tipo de regimes orbitais e missões.

Vigilância e gestão do tráfego espacial

A GMV é referência mundial no estudo, monitorização e prevenção da proliferação do lixo espacial. Opera neste âmbito desde finais dos anos 90, quando começou a trabalhar com a Agência Espacial Europeia (ESA) em atividades de catalogação de objetos e evasão de colisões em órbita.

Em conjunto, cerca de 100 engenheiros da GMV trabalham em atividades de lixo espacial em sete países (Espanha, França, Alemanha, Grã Bretanha, Polónia, Roménia e Portugal), o que a converte na maior indústria e equipa da Europa neste domínio.

Desde 2010, trabalhou em mais de 30 projetos no âmbito do programa de segurança espacial da ESA desde todos estes países, quase 20 deles como empreiteira principal, colaborando com mais de 40 empresas e institutos de investigação de toda a Europa. A título de exemplo, a GMV lidera os desenvolvimentos do SST Core SW da ESA (incluindo catalogação de objetos, planificação de sensores e serviços de colisões, reentradas e fragmentações), assim como do sistema autónomo de evasão de colisões da ESA (CREAM).

No âmbito do programa EU SST e dos programas nacionais de vigilância espacial, a GMV dirigiu e dirige contratos em todos os países listados anteriormente, cabendo destacar as seguintes responsabilidades:

  • Em Espanha, a GMV dirige o desenho, desenvolvimento, integração, gestão e operação do centro de operações de vigilância espacial espanhol (S3TOC). A GMV também dirige vários estudos de I+D para o CDTI no contexto do sistema EU SST. Assim, por exemplo, a GMV está a desenvolver um sistema de seguimento passivo de satélites de telecomunicações ativos em órbitas geoestacionárias chamado Focusear.
  • Em França, a GMV proporciona apoio às atividades de lixo espacial do CNES desde o ano 2012. Em Toulouse, a GMV lidera o desenvolvimento e operação do simulador de vigilância espacial BAS3E do CNES, entre outros projetos.
  • Na Alemanha, a GMV lidera a manutenção e evolução do sistema de missão do sistema alemão de vigilância espacial (GSSAC) e o desenvolvimento dos algoritmos básicos para o processamento de dados de SSA (base para o futuro catálogo europeu de lixo espacial do EU SST) para o DLR.
  • Na Roménia, a GMV lidera o desenvolvimento, integração e operação do centro de operações de vigilância espacial romeno para a Agência Espacial Romena (RoSA) e proporciona o SW de processamento de imagens dos telescópios romenos que contribuem para o EU SST.
  • Na Polónia, a GMV liderou o desenvolvimento e integração do centro de operações de vigilância espacial polaco para a Agência Espacial Polaca (POLSA).
  • Em Portugal, a GMV está a levar a cabo vários estudos de I+D para o Ministério de Defesa Portuguesa no âmbito do sistema EU SST.
  • No Reino Unido, nos últimos anos a GMV dirigiu vários estudos relacionados com SST para a Agência Espacial Britânica (UKSA), o STFC e Dstl no âmbito da contribuição britânica para o EU SST e como parte das suas iniciativas nacionais neste campo.

Para além disso, no mercado institucional de vigilância espacial, a GMV é referência no mercado comercial. Assim, a GMV opera desde 2017 o seu centro comercial de operações Focusoc para a prestação de serviços de evasão a mais de 10 operadores comerciais de todo o mundo e mais de 80 satélites. Fazendo uso destas capacidades, a GMV apoia os exercícios colaborativos do SACT (Sprint Advanced Training Concepts) organizadas por USSPACECOM desde 2020. Para isso, a GMV conta com um conjunto de SW operacional (FocusSST) para o processamento de dados de vigilância espacial, incluindo ferramentas de simulação e visualização, de manutenção do catálogo (incluindo a correlação, determinação de órbita e deteção de manobras), de planificação de sensores e de prestação de serviços (incluindo colisão, reentrada e fragmentação).

No âmbito militar, a GMV proporciona o SW central de processamento do centro de vigilância espacial das Forças Armadas alemãs (Weltraumlagezentrum) baseado em FocusSST e dá suporte ao Ministério de Defesa espanhol para a definição e desenvolvimento do Centro de Operações de vigilância espacial espanhol (COVE). A GMV apoia também diversos experimentos da OTAN e participa nos exercícios Global Sentinel coordenados por USSPACECOM desde 2018 apoiando o Ministério de Defesa espanhol. Finalmente, a GMV participa nos 3 projetos relacionados com a vigilância espacial na convocatória EDIDP 2020 da Comissão Europeia, a saber, SAURON (sensores, sob a liderança do ArianeGroup), INTEGRAL (comando e controlo espacial, sob a liderança de Leonardo) e ODIN's EYE (deteção precoce desde o espaço, sob a liderança de OHB).

Por último, no âmbito da gestão do tráfego espacial (STM), a GMV lidera um grande consórcio europeu para a definição de guias e práticas de STM para a comissão europeia (projeto EUSTM). Para além disso, a GMV faz parte da Coligação de Segurança Espacial e apoia a iniciativa Net Zero Space, preside o grupo de trabalho sobre STM em EUROSPACE, participa no TC26 do IAF sobre STM e faz parte do grupo de trabalho de estandardização europeu sobre STM no ECSS, contribuindo para o correspondente grupo de trabalho em ISO.

Productos

Serviço de análise de conjunções e avaliação de riscos de colisão que fornece apoio a todo o tipo de regimes orbitais e missões.

Meteorologia espacial

A GMV participou num número considerável de estudos no domínio de climatologia espacial no âmbito do programa de Segurança Espacial (S3P) da ESA.

A GMV desenvolveu os processadores operacionais de nível L1B e L2CAT2 da missão SWARM que estão a ajudar a estimar o impacto dos efeitos da meteorologia do espaço. No âmbito desta missão, a GMV está também a implementar modelos para predizer a variabilidade do plasma.

A GMV está também a colaborar no programa P3-SWE desenvolvendo diferentes atividades, como por exemplo:

  • Implementação de um contexto virtual para a validação dos modelos de SWE (Space Weather) que será integrado na rede de SWE

  • Definição e desenvolvimento de produtos de SWE para a região mediterrânea

  • Implementação de produtos SWE para proporcionar e poder analisar clarões ionosféricos nas regiões do ártico.

Proteção planetária

A GMV adquiriu uma experiência quase única no âmbito do sistema GNC (Sistema de orientação, navegação e controlo) autónomo para todas as trajetórias interplanetárias das missões espaciais, com especial aplicação em missões relativas a objetos próximos à Terra (NEO).

A GMV é responsável pelo sistema de orientação, navegação e controlo (GNC, Sistema de orientação, navegação e controlo)) embarcado da missão HERA, relacionada com asteroides. Também foi responsável pelo sistema GNC (Sistema de orientação, navegação e controlo) nas fases de definição e conceção do quase precursor AIM (Asteroid Impact Mission). Além disso, a GMV encarregou-se da análise da missão e do GNC (Sistema de orientação, navegação e controlo) de Marco Polo, uma missão de classe média de retorno de amostras de objetos próximos à Terra (NEO) que foi candidata ao programa Cosmic Vision 2015-2025 da Agência Espacial Europeia.

A GMV também participa na conceção e desenvolvimento do Juventas, um Cubesat 6U desenvolvido como «descendente» da nave-mãe HERA para realizar investigações adicionais sobre asteroides.

Desde o ponto de vista tecnológico, a GMV conta com o mais alto nível TRL europeu da GNC (Sistema de orientação, navegação e controlo) para operações de proximidade, aterragem e amostragem de NEO, possuindo uma tecnologia única para sistemas GNC (Sistema de orientação, navegação e controlo) autónomos neste campo.

Espaço limpo

A GMV conta com uma sólida trajetória e experiência nos campos da retirada ativa de resíduos espaciais e manutenção em órbita, tanto no seu setor espacial como terrestre.

Nos últimos dez anos, a GMV trabalhou, e continua a fazê-lo, com a Agência Espacial Europeia e a União Europeia, entre outros, na testagem e desenvolvimento de tecnologias e soluções cruciais para levar a cabo, de forma segura, operações críticas em órbita, tais como: reabastecimento de combustível em órbita, montagem e fabrico, sistemas autónomos de prevenção de colisões, etc. As referidas operações abrangem sistemas de dinâmica de voo, sistemas autónomos de orientação, navegação e controlo para aproximações (RDV) e IOAM, planificação autónoma a bordo e em terra e mecanismos espaciais, entre outros.

No contexto específico da eliminação ativa de resíduos e dos sistemas de manutenção em órbita, a GMV, com a ajuda de sócios chave, avançou de maneira significativa nos níveis de maturidade das tecnologias baseadas em soluções de orientação, navegação e controlo (GNC) baseadas em visão autónoma que permitem aos braços robóticos agarrar e/ou manipular veículos espaciais para levar a cabo, de forma segura, ações de retirada ativa de resíduos espaciais, ou de IOAM, ou de reabastecimento de combustível. O anterior foi levado a cabo de forma satisfatória no caso de S/C controlados, descontrolados, conhecidos e desconhecidos.

No âmbito da segurança espacial, a GMV trabalha com a Agência Espacial Europeia, com a qual lidera o programa Design for Removal (D4R) dedicado à maturação de requisitos e ao desenvolvimento das tecnologias chave para a retirada ativa de resíduos espaciais. Em particular, a GMV centra-se em:

  • desenvolvimento de tecnologias para a assistência em aproximações e acoplamentos autónomos, como por exemplo, uma interface mecânica para acoplamentos (MICE), para a estabilização de veículos espaciais depois do final da sua vida útil ou de marcadores para proporcionar assistência em aproximações e seguimento desde terra.

  • análise do sistema para obter informação sobre a interface e o rendimento, na qual se incluem aspetos como: configuração e localização de marcadores de navegação, zonas de exclusão para a operação do satélite durante a aproximação e o acoplamento.

Como resultado deste último, a GMV e a Agência Espacial Europeia elaboraram um documento de requisitos da interface para o desenho dos planos de retirada de detritos (IRD), que foi implementado pela nova geração de satélites Copernicus, as seis missões de Sentinel de expansão. Os principais empreiteiros responsáveis pela integração das seis missões Copernicus contam atualmente com a GMV e com o seu sócio AVS para o fornecimento dos elementos passivos do sistema CAT, MICE, que irão a bordo dos satélites.

O conceito base de «missão de retirada ativa de resíduos espaciais» consiste em capturar e realizar uma saída de órbita controlada do Sentinel em órbita, utilizando, potencialmente, um veículo ad hoc ou até um sistema de lançamento modificado, lançado em conjunto com o satélite Sentinel de substituição.

Um dos aspetos críticos a ter em conta é a viabilidade de capturar, estabilizar e tirar de órbita o S/C falhado/fora de controlo. Para isso, é necessário incluir soluções/dispositivos mecânicos e de navegação a bordo da nova geração de EO S/C.

Com este fim, a GMV lidera atualmente as atividades destinadas ao desenvolvimento de um CAT (Return Capture Payload Bay) completamente operativo, um componente fundamental para levar a cabo uma missão de retirada de resíduos espaciais no lado do satélite.

No segmento terra, a GMV dá suporte às missões ELSA-D e ELSA-M de Astroscale, nas quais se encarrega da dinâmica de voo e dos subsistemas de planificação da missão. No que se refere ao segmento terra, a GMV está a dar suporte às missões ELSA-D e ELSA-M de Astroscale, nos quais é responsável pela dinâmica de voo e pelos subsistemas de planificação da missão. Antes disso, a GMV já se tinha encarregado do desenvolvimento do sistema de dinâmica de voo da missão de veículos de transferência automatizados (ATV) e oferecido apoio especializado ao CNES durante as suas operações de aproximação (para os cinco ATV lançados).

Das imagens satélite aos serviços

Oferecemos suporte aos nossos clientes para que atinjam vários objetivos, como estar melhor informados, administrar ativos, identificar mudanças, fazer prognósticos ou serem mais resistentes, ou simplesmente fundamentamos as suas ações com informação exata.

Os satélites observam a Terra de forma privilegiada. Enquanto o nosso planeta gira, os satélites capturam imagens de maneira consistente e oportuna, proporcionando dados imparciais sobre uma série de temas para facilitar a tomada de decisões com base em dados. Os satélites de observação da Terra estão presentes há mais de 60 anos. Estas tecnologias espaciais consolidadas foram combinadas de maneira mais eficaz com novas análises e big data, em resposta aos principais desafios sociais, enumerados pelas Nações Unidas para cumprir dos objetivos de desenvolvimento sustentável.

O processamento e análise de dados satelitais impulsionam o negócio principal da GMV, apoiado pelos dados in situ e pela modelagem ambiental. As soluções da GMV baseiam-se em técnicas avançadas de análise, tais como: a aprendizagem automática e profunda, a fusão de dados, a computação na nuvem e uma ampla análise estatística. Os cenários terrestres são complexos e variados. As bases de dados de informação geoespacial podem ser enormes, pela área que abrangem ou pelo período observado. A nossa capacidade de análise transversal é possível graças a uma equipa multidisciplinar: oferecemos soluções efetivas para resiliência climática, silvicultura, agricultura, segurança, emergência, água e ajuda humanitária e desenvolvimento entre outros campos, aplicados sob encomenda personalizada.

A GMV oferece suporte em termos de produtos, serviços e aplicações a instituições internacionais, governos nacionais, administrações locais e empresas comerciais de todo o mundo. O nosso foco está direcionado para os objetivos dos nossos clientes, como estar melhor informados, gerir ativos-chave, identificar mudanças e tendências, realizar previsões e estimativas ou desenvolver resiliência. Em resumo, a GMV apoia as ações dos clientes com dados precisos, ajudando-os a conseguir as suas missões principais.

Na GMV estamos orgulhosos de aplicar a nossa experiência e formação multidisciplinar às nossas soluções geo espaciais para satisfazer as necessidades dos nossos partners com serviços que vão desde a avaliação de riscos ambientais até à definição de uma estratégia de resiliência climática, agricultura de precisão ou a monitorização de acampamentos de deslocados internos.

Agricultura

A GMV desenvolveu aplicações específicas para o setor agrícola utilizando dados de Observação da Terra (EO) que proporcionam informação contextual sobre agricultura e segurança alimentar. A oferta da GMV inclui:

  • Uma solução integrada para administrações públicas e organismos pagadores de suporte à política agrícola comum (PAC) da UE:
    • Identificação do tipo de cultivo.
    • Práticas agrícolas.
  • Uma solução integrada para melhorar o principal desafio que os agricultores enfrentam: aumentar a qualidade e o rendimento da produção, minimizando o impacto ambiental e reduzindo os custos dos abastecimentos. A solução inclui serviços baseados na monitorização por satélite, estações meteorológicas in situ e práticas agrícolas, com os seguintes produtos:
    • Índices climáticos, biofísicos e bioquímicos
    • Atividade fotossintética e condição do cultivo
    • Conteúdo de água do solo e taxas de evapotranspiração dos cultivos
    • Sistema de alerta de risco de doença e recomendações de fertilização
    • Seguimento da colheita
    • Estimativa de rendimento
    • Censo de cultivos arbóreos
    • Também se consideram serviços ad-hoc

O catálogo de serviços agrícolas da GMV, Wineo, funde séries temporárias de missões da NASA, ESA, Copernicus e privadas, estações meteorológicas, sensores in situ, comunicações de banda estreita e registos de operações de campo. A GMV utiliza técnicas tradicionais e técnicas de aprendizagem automática para proporcionar produtos tais como relatórios semanais do estado de saúde, necessidades de irrigação diárias, alarmes de risco de doenças quase em tempo real e recomendações de tratamentos, estimativas periódicas de rendimento e relatórios de área colhida.

Resiliência climática

As alterações climáticas são o maior desafio ambiental do nosso tempo. Pelas suas características globais, abrangem os diferentes setores produtivos e afetam todos os ecossistemas, sendo as comunidades mais pobres e vulneráveis as que enfrentam as consequências mais graves.

A gestão de riscos climáticos surge como uma forma de promover a adoção de decisões fundamentadas perante as alterações climáticas, com o objetivo de aliviar a vulnerabilidade associada com os riscos que representam. Isto requer dados de boa qualidade, o que falta com frequência nos países em vias de desenvolvimento. A observação da Terra (EO) tem um grande potencial para facilitar o desenvolvimento resiliente ao clima, uma vez que permite capturar com precisão dados ambientais a grande escala com uma grande variedade de resoluções espaciais e temporais. Esta informação, quando é combinada com dados socioeconómicos, facilita a gestão de riscos climáticos e a incorporação de medidas de adaptação em políticas climáticas nacionais e noutras políticas setoriais.

A GMV proporciona serviços climáticos baseados na Observação da Terra a organismos internacionais de desenvolvimento e a organizações

multilaterais para evidenciar e justificar os investimentos em resiliência climática, e para que os seus estados-cliente possam cumprir os seus objetivos de desenvolvimento resiliente ao clima a longo prazo. O catálogo de serviços climáticos da GMV, Eoclima, contribui para a avaliação e seguimento dos riscos das alterações climáticas (considerando o perigo, a exposição e a vulnerabilidade), proporciona informação para as medidas de adaptação às alterações climáticas e facilita as soluções combinadas de adaptação e mitigação climática em apoio ao programa REDD+.

Emergências

As alterações climáticas e os seus efeitos sentem-se cada vez com maior frequência e intensidade. Os eventos meteorológicos que desembocam em desastres estão a aumentar consideravelmente, como por exemplo, chuvas torrenciais mais fortes e frequentes, temperaturas e incêndios que batem recordes, etc., o que aumenta o seu impacto na sociedade e o risco associado. Estes riscos geram perda de recursos naturais, insegurança alimentar, impactos diretos e indiretos na saúde e, como consequência, as migrações.

Os dados de Observação da Terra são uma ferramenta que se pode aplicar a todas as fases do ciclo de gestão de emergências. A GMV tem estado envolvida desde as primeiras fases de desenvolvimento da atual capacidade europeia de Gestão de Emergências baseada na Observação da Terra, da qual a GMV é um importante contribuinte através da participação nos serviços de Emergência de Copernicus.

A oferta da GMV neste setor inclui um conjunto de serviços e produtos geoespaciais, e os responsáveis pela planificação, as equipas de proteção civil e as autoridades podem utilizar os dados de forma fácil e rápida quando mais deles precisam, e nas diferentes áreas da Gestão de Emergências: mapeamento de exposição (população, infraestruturas, ativos , etc.), mapeamento de vulnerabilidade (fatores socioeconómicos), planificação e vigilância, avaliação de riscos, classificação de danos, monitorização de recuperação, etc., para ajudar a reduzir o risco ou os impactos dos desastres.

  • Mapeamento rápido de desastres
  • Monitorização de desastres
  • Avaliações de impacto / exposição
  • Avaliação do risco de desastres
  • Mapas de referência
  • Modelagem de inundações
  • Seguimento da reconstrução

Na resposta a emergências, os produtos da GMV são fornecidos nas horas ou dias imediatamente posteriores a um desastre. A informação gerada pelo serviço pode utilizar-se tal como é fornecida (por exemplo, como saídas de mapas digitais ou impressos), ou pode combinar-se, para além disso, com outras fontes de dados (por exemplo, como conjuntos de características digitais num sistema de informação geográfica).

Os principais utilizadores podem incluir autoridades de proteção civil e emergências, agentes de ajuda humanitária e outros envolvidos em atividades de recuperação, redução de riscos e preparação.

Silvicultura

Os ecossistemas florestais estão submetidos a uma pressão cada vez maior pelas alterações climáticas e a uma crescente ação antropogénica. Hoje, mais do que nunca, a gestão florestal sustentável é um desafio. São necessários dados fiáveis para as tarefas silvícolas, desde a florestação até ao desbaste ou a tala rasa. Promover a bioeconomia circular dos bosques é tão importante como gerir os desafios da biodiversidade.

A informação florestal baseada em satélites, LiDAR e dados do clima contribuem para abordar os desafios do dia a dia reduzindo os custos de operação e aumentando o rendimento, melhorando a acessibilidade e usabilidade dos dados e permitindo soluções de gestão inovadoras. Eoforest é o catálogo de produtos de geoinformação relacionados com a silvicultura da GMV. Eoforest apoia a gestão ativa: inventário, proteção, restauração, mitigação e adaptação. A equipa da Eoforest trabalhou em projetos relacionados com a silvicultura durante os últimos 15 anos e em mais de 20 países para clientes internacionais. Sobre a base do conhecimento adquirido, Eoforest foi concebido conjuntamente com proprietários florestais e a indústria madeireira para proporcionar apoio técnico para operações florestais sustentáveis.

A gestão silvícola baseada em dados de teledeteção é um instrumento alinhado com o Pacto Verde Europeu e o Programa de Redução de Emissões por Desflorestação e Degradação (REDD +) das Nações Unidas e apoia a implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Ajuda humanitária

Abordar situações frágeis e afetadas por conflitos é uma prioridade estratégica para atingir o ODS 16 “Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, facilitar o acesso à justiça para todos e construir, a todos os níveis, instituições eficazes e inclusivas que prestem contas”.

Segundo a agência da ONU para os refugiados, o número de pessoas que fogem da guerra, da perseguição e dos conflitos superou os 70 milhões em 2018, chegando no final de 2020 a mais de 91,9 milhões de pessoas. As alterações repentinas ou graduais do contexto natural relacionadas com as alterações climáticas (por exemplo, aumento do nível do mar, fenómenos meteorológicos extremos e escassez de água) produzem refugiados climáticos.

Segundo o Banco Mundial (2021), a falta de água relacionou-se recentemente com 10 por cento do aumento da migração mundial.

Os conflitos, a insegurança, o aquecimento global, instituições débeis e o acesso limitado à justiça continuam a ser grandes desafios. Os conflitos podem causar fortes impactos ambientais relacionados com a poluição da terra, do ar, da água e da biota, assim como a degradação de recursos chave, como a água, as pastagens, as terras agrícolas e os bosques. As hostilidades, assim como as alterações climáticas, podem influir no estado dos ecossistemas: a degradação ambiental afeta a biodiversidade, influi nas rotas migratórias até causar a extinção das espécies mais vulneráveis.

Os dados de Observação da Terra são uma ferramenta que pode facilitar a assistência para o desenvolvimento e a ajuda humanitária durante ou depois dos conflitos. A GMV participou em projetos com o Banco Mundial ou a Agência Espacial Europeia para apoiar a prevenção e ações precoces para abordar a fragilidade, os conflitos e a violência.

A oferta da GMV neste setor inclui um conjunto de serviços e produtos geoespaciais que incluem a avaliação da evolução das deslocações forçadas; a monitorização dos campos de refugiados; danos e necessidades em zonas de conflito, deteção precoce e ação precoce em conflitos, análise de riscos compostos e avaliação dos efeitos ambientais dos conflitos, todos cruciais para a tomada de decisões baseada em evidências, na coordenação

Segurança

A escala e diversidade das ameaças que pairam sobre o mundo nunca foram tão grandes como as que enfrentamos atualmente. Desde há algum tempo que se reconhece que a informação geoespacial oferece uma perspetiva única para ajudar a compreender e responder aos desafios apresentados.

A GMV esteve envolvida desde as primeiras fases de desenvolvimento da atual capacidade operativa europeia de segurança baseada na Observação da Terra, na qual é um importante contribuinte através da participação nos serviços de Segurança de Copernicus.

A oferta da GMV abarca vários domínios de segurança no âmbito das atividades de inteligência e defesa, como a vigilância marítima (por exemplo, deteção de navios), mapeamento de infraestruturas críticas, monitorização de fronteiras, planificação de evacuações, análise de acampamentos de deslocados internos, deteção de delitos ambientais, luta contra o terrorismo, etc.

Os nossos serviços de segurança exploram técnicas de ponta a ponta, desde o conhecimento especialista de IMINT até à aprendizagem automática, utilizando uma grande variedade de dados de satélite (SAR e óticos), com resolução espacial média e muito alta, o que permite uma análise rápida e precisa, independentemente da escala e da provisão de relatórios para melhorar o conhecimento da situação, sobre terra ou mar, em qualquer parte do mundo.

Os produtos desenvolvidos consistem em mapas, dados geoespaciais, relatórios e alertas que incluem uma vasta gama de características observáveis extraídas de imagens de satélite e dados de fontes abertas com o objetivo de caracterizar os objetivos de interesse, assim como os antecedentes do contexto geográfico e a representação das áreas analisadas.

As águas

A água afeta quase todos os aspetos do desenvolvimento: alterações climáticas, segurança alimentar, desenvolvimento urbano, gestão do risco de desastres, meio ambiente, igualdade de género, saúde, energia, etc. A GMV oferece soluções baseadas na Observação da Terra combinadas com modelos para ajudar a gerir os desafios das águas continentais e marinhas, tais como a escassez e a qualidade da água e a poluição marinha.

Gestão de águas continentais:

Só 0,5% da água da Terra é água doce disponível. A escassez de água afeta mais de 40% da população mundial, e mais de 21,5% da população vive atualmente em bacias hidrográficas nas quais o uso da água supera a recarga, o que fará com que esta situação seja mais pronunciada. A GMV oferece serviços de seguimento da disponibilidade de água e da sua gestão sustentável para facilitar a gestão ótima dos recursos, assim como o acompanhamento de extremos hidrológicos, desde inundações até secas. A GMV também utiliza dados satelitais para estimar a concentração de clorofila-a, o conteúdo de matéria orgânica, a temperatura da superfície do mar, a salinidade da superfície do mar, a turbidez da água e outros parâmetros que influem na qualidade da água das massas de água. Estes serviços podem ser usados para a gestão de instalações de piscicultura e aquicultura e para supervisionar as medidas de gestão ambiental estabelecidas nos campos agrícolas pertencentes às bacias hidrológicas associadas. O catálogo de serviços climáticos da GMV, Eoclima, apoia a avaliação e o seguimento dos riscos das alterações climáticas e as soluções de adaptação às mesmas.

Gestão marinha e costeira:

A poluição marinha é um problema devastador que exige novas soluções conceptuais e tecnológicas para ajudar a prevenir, detetar, monitorizar e mitigar as consequências desta degradação ambiental. Simons é a solução da GMV baseada na Observação da Terra para detetar a poluição marinha (plásticos e derramamentos de petróleo). Os enfoques desenvolvidos aproveitam os dados óticos satelitais multiespectrais, os dados do radar satelital e as técnicas de aprendizagem automática para identificar os lixos flutuantes e os derramamentos de petróleo. Estes serviços podem ser aproveitados para identificar pontos críticos de poluição marinha, compreender a dinâmica do fluxo e melhorar a tomada de decisões.

Produtos

Serviços de Observação da Terra para a resiliência às alterações climáticas

Earth Observation Services for Forest Management

Informação geral

A tecnologia é a essência da estratégia da GMV e uma das suas principais diferenciadoras. De facto, a GMV investe notavelmente no desenvolvimento de tecnologia e é uma das empresas europeias mais ativas nos programas tecnológicos da Agência Espacial Europeia e da UE, como TRP, GSTP, EOEP, FLPP, ARTES e NAVISP da Agência Espacial Europeia, e o programa Horizon 2020 da UE.

A GMV trabalha lado a lado com os seus clientes e desenvolve, normalmente sob contratos-quadro, tecnologia central para a Agência Espacial Europeia, o CNES, o Eumetsat e outras agências espaciais líderes.

Missões de demonstração tecnológica

A GMV participou em inúmeras missões de demonstração tecnológica como as que seguidamente se indicam.

A GMV faz parte da equipa central que está a desenvolver a PROBA-3, uma missão única de demonstração de voo em formação. A GMV assume a plena responsabilidade sobre o sistema de voo em formação, para o qual desenvolve um subsistema embarcado de orientação, navegação e controlo, bem como sobre o sistema de dinâmica de voo em terra e o sistema de monitorização do voo em formação.

A GMV é uma parceira chave do laboratório de voo de nanosatélites OPS-SAT, que tem como objetivo provar novas técnicas de controlo de missão e de bordo, para o qual desenvolveu o software embarcado.

É, também, uma parceira chave na definição e conceção da missão experimental de aproximação e acoplamento autónomos CubeSats (RACE).

Tecnologias de robótica espacial

A GMV está a desenvolver a tecnologia europeia mais avançada de orientação, navegação e controlo autónomos para robótica espacial. Desempenha um papel central no programa PERASPERA (Strategic Research Cluster on Space Robotics Technologies) da UE, que inclui os seguintes elementos:

  • ESROCOS: desenvolvimento do sistema operativo para controlar robôs espaciais
  • ERGO: sistema de inteligência autónoma ou artificial
  • FACILITATORS: fase de provas de validação em vários laboratórios europeus
  • ADE: tomada de decisões autónoma em longas travessias
  • Responsável de ERGO e ESROCOS em MOSAR, EROS e PROACTC

Source URL: http://www.gmv.com/setores/espaco