Sistemas de processamento operacional de instrumentos

O Sistema de Processamento Operacional de Instrumentos (IPF) implementa o ATBD e o DPM gerados a partir das actividades de protótipo, optimizando as prestações e seguindo as interfaces do contexto operacional. Os IPD operacionais estão cada vez mais exigentes no que toca ao calendário, às prestações e consumo de recursos, obrigando o sector a aplicar métodos inovadores mas, ao mesmo tempo, fundamentados na vastíssima experiência acumulada nesse campo.

A GMV é um dos principais fornecedores de sistemas de processamento de dados da Europa, tendo desenvolvido, entre outros produtos, um software de processamento para sensores de observação da terra. Alguns exemplos desta actividade são o desenvolvimento do processador operacional do sensor MERIS (incorporado no ENVISAT, contratado pela ESA), a cadeia de processamento (L0 e L1) da missão SMOS e o processador operacional dos instrumentos GRAS (embarcado nos satélites EUMETSAT METOP, contratado por ESA-EUMETSAT). Os processadores operacionais L1b e L2 do Earth Explorer Swarm estão actualmente em processo de desenvolvimento na GMV.

A GMV mostrou a sua elevada capacidade para abordar não apenas o desenvolvimento de processadores operacionais muito exigentes, num contexto de mudanças contínuas, mas também para cumprir os compromissos assumidos de uma maneira flexível com garantia de alto rendimento.