V Jornada GMV de Robótica

Com o fim de mostrar o estado actual da tecnologia e do mercado da robótica, assim como as suas múltiplas aplicações, a multinacional tecnológica GMV celebrou a sua “V Jornada GMV de Robótica”, um evento que se enquadra na European Robotics Week (de 23 a 29 de Novembro), numa semana com mais de 400 eventos relacionados com a robótica em toda a Europa.

A V Jornada de Robótica reuniu na sede central da GMV os principais actores do mundo da robótica para mostrar os últimos avanços, investigações e aplicações de um sector tecnologicamente maduro. A Jornada começou com a apresentação do Concurso Concurrent Design Facility (CDF) for Robotics, no qual dois grupos de estudantes universitários competiram durante a manhã, procurando a melhor solução robótica de inspecção industrial numa suposta plataforma de Oil & Gas.

Em seguida teve lugar a mesa redonda "Robótica móvel na actualidade" na qual se debateu sobre o actual estado deste sector e para onde ele se dirige, participando nela: Miguel Ángel Sanchís, Coordenador da Secretaria Técnica da Plataforma Tecnológica Espanhola de Robótica (HISPAROB); Em representação do CDTI, Fernando Martín Galende, NCP da ICT em liderança industrial (Programa H2020); Juan Carlos Llorente, Assessor do CEO e Responsável pelo Desenvolvimento de Negócio de Robótica da GMV; Pedro Hernández, Chefe de Projecto de Computação Avançada do Centro de Tecnologia da Repsol e José Ignacio García, Product Manager de Proytecsa Security.

Rday2015 I

Concluído o debate da mesa redonda, começaram as demonstrações dos principais actores do sector, em primeiro lugar os Robôs da Indústria e Universidade, prosseguindo com a demonstração de desenvolvimentos académicos e, para concluir, a de robôs educativos.

Como exemplo concreto de aplicação da robótica móvel, dentro das demonstrações de robôs da indústria, a GMV expôs a sua participação no Desafio Argos (Autonomous Robot for Gas & Oil Sites) de empresa petrolífera e de gás TOTAL. O objectivo consiste em fomentar o desenvolvimento de uma nova geração de robôs autónomos de superfície, capazes de se moverem tanto em terra como em instalações no mar, num contexto potencialmente explosivo, a fim de reduzir a exposição dos trabalhadores a situações de alto risco, operar em lugares inacessíveis e apoiar os operários nas suas tarefas de inspecção e manutenção.

Por sua vez, a Proytecsa, empresa espanhola de prestígio mundial, referência no sector da segurança pela sua estreita colaboração com as forças e corpos de segurança do Estado de numerosos países, realizou uma demonstração do robô Aunav NEXT/EOD para a desactivação de explosivos. Concebido e desenvolvido por esta empresa espanhola, é o robô mais avançado do mercado para a sua finalidade. Construído com materiais aerospaciais, reduz os danos potenciais causados por uma deflagração e pode operar em qualquer tipo de terreno.

Rday II

A fechar este painel de demonstrações, Robotplus apresentou a plataforma colaborativa MiR100, composta por um manipulador com pinça de preensão instalado sobre uma base móvel optimizada para tarefas logísticas baseadas em transporte de pequenas cargas. Trata-se de um robô simples, robusto e económico que utiliza tecnologia ROS e cujos campos de aplicação são múltiplos, desde hospitais e fábricas até supermercados ou restaurantes.

O segundo bloco de exibições centrou-se nos desenvolvimentos académicos com a participação da GMV, URJC, CATEC e CAR UPM-CSIC. A GMV apresentou um exemplo de soluções robóticas em condições de micro gravidade 2D; A Universidade Rei Juan Carlos realizou uma demonstração de drones programados; A CATEC apresentou a manipulação aérea com veículos aéreos não tripulados e com o Centro de Automatização e Robótica (CAR) da Universidade Politécnica de Madrid (UPM)-CSIC fez uma demonstração sobre controlo combinado em velocidade e posição para teleoperação mediante um dispositivo háptico e uma exibição do robô todo o terreno Summit XL que participou na competição euRathlon 2015 para busca de sobreviventes em catástrofes.

Rday III

O painel de demonstrações encerrou com sete experiências de robótica educativa: uma demonstração da equipa TeknoChisp, participantes da competição internacional para escolares Jr. First Lego League (FLL); o Centro de Robótica educativa Complubot, que realizou uma demonstração sobre como iniciar as crianças entre os 10 e os 14 anos na robótica por meio de actividades e guias didácticos; Arganbot, a Escola de pequenos engenheiros que ministra cursos de tecnologia e robótica educativa a jovens dos 6 aos 16 anos, para que se familiarizem com estas tecnologias. Microlog, que concebe, produz e distribui material escolar na área da Robótica; SESA, contando a experiência das crianças a tocar pela primeira vez um robô educativo Moway; Logix5 que apresentou My Robot Time, um kit de robótica orientado para a construção de robôs controlados remotamente por comando de infra-vermelhos; e por último a empresa americana Mathworks, líder em desenvolvimento de software de cálculo matemático para engenheiros e científicos, que mostrou as possibilidades do seu ambiente de programação Matlab para a robótica educativa e académica.

Como encerramento da V Jornada GMV de Robótica GMV apresentaram-se os resultados do Concurso "Concurrent Desing Facility (CDF) for Robotics", outorgando-se os correspondentes prémios e dando-se lugar a uma demonstração do Grande Prémio GMV "Areias de Marte", uma competição de robôs velocistas criados por desenvolvedores independentes e que faz parte da Liga Nacional de Robótica (LNRC).