A GMV e a Bioinformática como condutora da inovação

A Bioinformática desempenha um papel central nas áreas de Ciências da Vida e da Clínica. Estamos hoje em dia a ver grandes resultados provenientes do contexto da investigação e possíveis de serem passados à prática clínica. De facto, vários hospitais começaram a integrar a bioinformática como parte das suas actividades habituais, em alguns casos através da criação de Unidades de Bioinformática. Estas unidades oferecem serviços bioinformáticos a diferentes departamentos médicos tais como a oncologia, hematologia ou microbiologia.

A GMV participou nas jornadas sobre "A Bioinformática como condutora da inovação", realizadas na sede do CNIO -- Centro Nacional de Investigações Oncológicas de Madrid -- durante a qual Afonso Valência, Director do programa de Biologia Estrutural e Biocomputação do referido Centro, explicou a importância de criar uma grande infra-estrutura europeia estratégica que dê suporte aos projectos de ciência da vida.

A GMV e a Bioinformática como condutora da inovação

Rafael Navajo, gerente da área de Desenvolvimento de Negócio de Saúde da GMV, participou com uma palestra sobre "Mining medical records" destacando a importância e complexidade da exploração de informações clínicas, tecnologias como pe. Big Data e aprofundando sobre as diferentes fases que compõem o desdobramento de uma solução deste tipo. A partir da experiência da GMV na participação de diversos projectos, expôs também os desafios que enfrenta e os benefícios que se obtêm através deste tipo de soluções.

Durante as diversas intervenções abordou-se o papel da Bioinformática sob a perspectiva da indústria, do contexto clínico e da investigação, destacando-se o carácter estratégico da iniciativa europeia ELIXIR dentro da gestão de dados genómicos em ciências da vida.