A GMV e a transformação tecnológica graças ao Big Data

A GMV participou no evento “Big Data e Smart Data: Reptos e oportunidades", organizado pela Corporação Tecnológica de Andaluzia (CTA) no Vodafone Smart Center de Sevilha e no qual participarão profissionais dos sectores público e privado, assim como do âmbito universitário.

José Carlos Baquero, Chefe da Divisão de Engenharia de Software e Desenvolvimento da GMV Secure e-Solutions fez uma palestra sobre a "Transformação Tecnológica graças ao Big Data: Dificuldades e lições aprendidas”. Na sua exposição, José Carlos Baquero evidenciou a necessidade de conhecer desde o princípio os objectivos de negócio aos quais as tecnologias relacionadas com o Big Data têm que dar resposta, assim como de dispor de um modelo que torne sustentável um projecto com tais características. Por outro lado, incentivou a assistência a realizar testes de conceito em ambientes Cloud sem que para isso seja necessária uma infra-estrutura específica, mas centrando-se sempre no contributo de valor para a organização. O interveniente terminou a sua participação mostrando os diversos projectos Big Data nos quais a GMV está a trabalhar, tanto nos âmbitos da prevenção contra a fraude como na detecção de ameaças, vigilância digital, agricultura de precisão, gestão de dados clínicos e epidemológicos.

_____________________________________________________________________________

A GMV e a transformação tecnológica graças ao Big Data

José Carlos Baquero, Chefe da Divisão de Engenharia de Software Desenvolvimento da GMV
Secure e-Solutions durante a palestra "Transformação Tecnológica graças ao Big Data:
Dificuldades e lições aprendidas”

______________________________________________________________________________

Um vez concluída a intervenção da GMV, os convidados, gestores TICs das organizações que representavam, partilharam as suas experiências em aproximações Big Data para as quais -- conforme indicou José Carlos Baquero -- "é necessária uma aproximação realista de negócio". Perante a pergunta "Saberíamos explorar e extrair conhecimento dos dados que temos actualmente nas organizações?", também se aceitou consensualmente a necessidade de ter objectivos claros, não bastando a "fé nos dados", uma vez que apenas do seu armazenamento não se pode deduzir que tenham valor.

O papel da Administração Pública como guardiã dos dados dos cidadãos e a necessidade de impulsionar projectos Open Data que ponham à disposição de terceiros essas informações com carácter anónimo e com capacidade de contribuir para a criação de uma indústria baseada nelas, foi o tema com que se encerrou o evento.