Êxito de FOXIRIS na Primeira Competição do Desafio ARGOS

Na semana de 22 a 26 de Junho, teve lugar a primeira competição do Desafio ARGOS, concurso internacional financiado pela petrolífera francesa TOTAL, cujo objectivo consiste em promover a robótica móvel para ambientes de instalações industriais de hidrocarbonetos.

Argos I

A equipa FOXIRIS, liderada pela GMV e da qual também fazem parte da IDMind de Portugal e a UPM-CAR, desembarcou em Pau a 21 de Junho, com a noite já adiantada, aproveitando até à última hora a realização de verificações no terreno marciano da GMV em Madrid. Os meios humanos e técnicos deslocados para França incluíam 11 pessoas, duas furgonetas, o robô FOXIRIS, o seu Centro de Controlo e material auxiliar diverso com o fim de enfrentar as diversas verificações preparadas para uma longa e difícil semana de competição.

Para o primeiro dia estava previsto o arranque do robô e sua respectiva homologação. Com 86 Kg de peso (máximo 100 Kg) e menos de 35 cm de largura, o FOXIRIS superou amplamente as restrições de peso e largura impostas pela TOTAL. Em seguida, teve lugar a verificação das medidas de segurança do robô pelas quais se demonstrou o seu perfeito funcionamento (com um total de quatro diferentes paragens de emergência, desde as paragens locais do robô até às remotas do Centro de Controlo, tanto via rádio UHF como por comunicações sem fio Wi-Fi). Por fim, verificou-se in situ, nesse primeiro dia, a capacidade de FOXIRIS para parar automaticamente o seu movimento perante a aparição súbita de obstáculos desconhecidos. Desta forma cumpriu-se adequadamente o requisito da competição de que todo o robô deve ser capaz de trabalhar num ambiente com operadores humanos e de realizar paragens de emergência seguras.

Argos II

A terça-feira, 23 de Junho, foi dedicada a verificar as capacidades de visão artificial do robô realizando leituras de manómetros, níveis de pressão e interruptores. O FOXIRIS mostrou um comportamento destacado, reconhecendo diferentes valores de pressão sob diversos ângulos e em condições de iluminação variáveis.

Nos dias 24 e 25 testou-se detalhadamente o comportamento dos cinco robôs participantes, tanto em missões configuradas a partir do Centro de Controlo como em condições de tele-operação. Durante estes dias o FOXIRIS demonstrou a capacidade de subir autonomamente escadas de acesso à plataforma industrial e de realizar percursos autónomos enquanto anotava diferentes leituras em diversos locais seleccionados para a ocasião. Na missão de tele-operação verificaram-se, por controlo manual, os diversos modos de avanço, rotação e controlo das lagartas dianteiras, centrais e traseiras, evitando obstáculos e procurando os objectivos marcados pelos membros do júri.As câmaras do robô também permitiram mostrar a visão lateral e frontal do ambiente, dando aos operadores a possibilidade de se colocarem no primeiro piso da plataforma. Os diferentes sensores laser e infra-vermelhos (2D e ToF) mostraram a todo o momento o seu bom funcionamento, realizando um mapa preciso do contexto em tempo real.

Argos III

No último dia da competição teve lugar o teste de resistência em que, durante mais de duas horas e em circuito fechado, o FOXIRIS alcançou uma velocidade máxima superior a 2 Km/h com o fim de verificar a resistência mecânica da plataforma móvel e o consumo energético do robô. O FOXIRIS teve um comportamento excepcional, uma vez que no fim do teste dispunha ainda de uma autonomia adicional de 3 horas.

Em suma, o FOXIRIS concluiu com êxito a primeira competição das três que estavam previstas no desafio ARGOS, demonstrando as suas capacidades e a sua tecnologia. Sem dúvida alguma, o FOXIRIS já é uma realidade, devendo as actividades nos próximos meses ser encaminhadas para o incremento das suas capacidades de localização, navegação e inspecção, avançando seguidamente na sua concepção para enfrentar o desafio de trabalhar em atmosferas explosivas, em vista da próxima competição, a realizar em Março de 2016.