GMV abre caminho para a implementação de um sistema GPS-SBAS na África meridional

Os sistemas SBAS (abreviatura de Sistema de Aumentação Baseada em Satélite - Satellite Based Augmentation System) monitorizam e corrigem os sinais emitidos pelos Sistemas Globais de Navegação por Satélite (GNSS), em particular os de GPS

Embora os sistemas SBAS tenham sido inicialmente concebidos para a aviação civil, utilizam-se actualmente em sectores tão diversos como o agrícola, os transportes rodoviário, marítimo e ferroviário, assim como no campo da geomática

O programa SBAS-África, co-financiado pela Agência Espacial do Reino Unido (UKSA), mostrou recentemente os benefícios potenciais dos sistemas SBAS na África meridional e oriental

No projecto SBAS-África, a multinacional tecnológica GMV prestou assistência a AVANTI, empresa líder na aplicação de tecnologia de satélites e principal contratada do projecto. Iniciado em Setembro de 2015, o projecto permitiu a implementação de um demonstrador de sistema SBAS destinado a verificar os benefícios potenciais desta tecnologia na África meridional e oriental.

Os sistemas SBAS melhoram a precisão e a integridade do posicionamento facultado pelos sistemas globais de navegação por satélite (GNSS), tais como o GPS, GLONASS, Galileo e Beidou. Actualmente há sistemas SBAS em operação nos Estados Unidos (WAAS) e na União Europeia (EGNOS), aos quais se juntam iniciativas similares de outros países tais como a Índia (GAGANI), Japão (MSAS) e Rússia (SDCM).

O programa SBAS-África foi co-financiado pela Agência Espacial do Reino Unido (UKSA) por meio do seu Programa Espacial de Cooperação Internacional (IPSP), tendo como contratados principais a GMV, NSL, Pildo Labs, Thales Alenia Space UK, entre outros, além de contar com a colaboração da Agência Nacional Espacial Sul-Africana (SANSA). Durante a fase inicial do projecto, concluída no passado mês de Abril, o sistema de demonstração deu cobertura real a um sinal SBAS em toda a África do Sul, através do satélite geoestacionário ARTEMIS, propriedade da AVANTI.

O demonstrador SBAS posto a funcionar, conta com três elementos principais: (1) o sistema de processamento, geração de correcções e monitorização de integridade magicSBAS, desenvolvido pela GMV, (2) uma rede de estações de seguimento GNSS implementada na região pela NSL e (3) o satélite geoestacionário ARTEMIS, fornecido pela AVANTI.

Durante o passado mês de Novembro de 2015 a GMV pôs a funcionar o sistema magicSBAS nas instalações da AVANTI, na estação terrena de Goonhilly (Reino Unido). Uma vez ligado à rede de estações desdobradas na África do Sul, o sistema magicSBAS gera em tempo real correcções e mensagens binárias de monitorização de integridade para todos os satélites GPS visíveis na região.

Posteriormente, durante o passado mês de Fevereiro, a GMV participou na integração de diferentes subsistemas, entre os quais se encontra um monitor de segurança desenvolvido pela GMV na estação terrestre de Makarios (Chipre), de onde se transmitem ao satélite ARTEMIS as mensagens geradas por magicSBAS depois de terem sido transformadas em sinal de frequência de rádio.

O funcionamento do sistema demonstrador permitiu a realização de uma campanha de testes e apresentações para sectores tais como o da aviação, transportes marítimos e rodoviários, agricultura e geomática. A GMV participou nessa campanha assim como na apresentação de resultados às autoridades sul-africanas competentes em diferentes sectores, num programa de ateliers realizado na Cidade do Cabo, em Pretória e Joanesburgo durante o mês de Abril.

Os testes e demonstrações realizados com a comunidade da aviação civil permitiram demonstrar vários benefícios operacionais da tecnologia SBAS, tais como a melhoria da segurança em operações de aterragem de aeronaves, a redução de tempo de descolagem ou aterragem em condições de má visibilidade, a redução do número de voos atrasados ou cancelados, a redução de acidentes, a redução de custos operacionais e a duração da viagem.

No âmbito marítimo, a tecnologia SBAS tem aplicação directa à navegação oceânica e costeira, acessos a portos e a operações portuárias, seguimento e gestão de navios, protecção pesqueira, inactividade marinha, operações de busca e resgate, gestão dos recursos do oceano, etc. Os potenciais benefícios incluem, por exemplo, a redução de encalhamentos e colisões, assim como o incremento da eficiência de operações de busca e regaste.

No sector agrícola, a tecnologia SBAS tem aplicação ao controlo e seguimento de activos em quintas, bem como ao acompanhamento do solo e do cultivo. Os benefícios incluem, por exemplo, a redução do impacto ambiental, a redução dos custos de exploração, a melhoria do rendimento do cultivo, o incremento da produtividade, através do uso eficaz do equipamento, além de melhorias na gestão de cultivos.

Quanto ao transporte ferroviário, a tecnologia SBAS tem aplicação aos sistemas de informações aos passageiros a bordo, aos sistemas de comando e controlo, gestão do tráfego e sinalização, assim como o reconhecimento e inspecções de linhas ferroviárias. Os benefícios potenciais incluem a melhoria global da segurança e a eficiência das operações, bem como a redução de custos das infra-estruturas de sinalização.

No sector dos transportes rodoviários, a tecnologia SBAS aplica-se à gestão integral de frotas de veículos de transporte, à gestão do tráfego, aos sistemas de segurança para veículos inteligentes, aos sistemas eCall (chamada de emergência automática), aos sistemas de portagem electrónica e à gestão do tráfego.

No campo da Geomática, a tecnologia SBAS tem aplicação directa em medições cadastrais e topográficas, assim como em cartografia. Os benefícios obtidos incluem, por exemplo, a melhoria da precisão das medições de campo e a melhor aplicação das leis de propriedade da terra.

A implementação de um sinal SBAS no país africano é um objectivo de especial relevância nesta primeira fase de demonstração, uma vez que serviu para dar consciência às diferentes autoridades locais e aos potenciais utilizadores dos benefícios potenciais desta tecnologia.

Antecedentes

A GMV realizou diversos projectos de demonstração da tecnologia SBAS. Em 2010 a GMV pôs em marcha um sistema demonstrador semelhante nas regiões do Caribe, América Central e América do Sul. Actualmente a GMV participa em diversos projectos para a difusão da tecnologia SBAS em diversas regiões do mundo, colaborando com a Agência Espacial Nacional da África do Sul em projectos de desenvolvimento da capacidade tecnológica na área da navegação por satélite na região da África meridional.

Para mais informações:


Business Development, Marketing & Communication
marketing@gmv.com